Uma vida não vivida em vão

O exemplo da vida de Markus falou com mais força do que qualquer palavra.

Escrito por C. Fossnes
Uma vida não vivida em vão

O exemplo de vida de Markus falou com mais força do que qualquer palavra.

“Toda situação pode se tornar sua salvação!”

A frase parece suspender a sala. Cerca de 60 a 70 jovens estão ouvindo enquanto o homem de 35 anos fala. Eles o conhecem há muitos anos. Ele esteve junto com eles, conferência após conferência. Sempre com o mesmo sorriso caloroso, os mesmos olhos calorosos, o mesmo entusiasmo por compartilhar a Palavra de Deus, que parece tão viva para ele em sua própria vida. Ele está cheio de alegria, pois sabe do que fala, e que todos os que estão sentados na sala podem experimentá-la da mesma maneira que ele está experimentando em sua própria vida.

“Você pode crer nisso?”

Markus está olhando para os diferentes jovens sentados na sala, fazendo a pergunta com um grande desejo de que cada um deles diga “sim” em seus corações e entre na mesma vida em que ele entrou pessoalmente. Para correr a mesma corrida, a mesma pista, onde a alegria, a paz e a retidão aumentam dia após dia.

Essa é uma vida fantástica!

Um mês depois, eu estou no funeral dele vendo seu caixão desaparecer na terra. Markus morreu de repente e inesperadamente. Ele ficou gravemente doente enquanto estava de avião em uma viagem de negócios. Ele foi levado às pressas para um hospital, mas já era tarde e morreu depois de algumas horas.

Uma vida em forte conexão com Deus

Markus Angerer foi um dos homens mais especiais que eu já conheci. Não era apenas sua energia, entusiasmo e grande alegria na vida. Sua capacidade de esclarecer as coisas, de ajudar as pessoas a entender e ver as coisas sob novos ângulos. Sua capacidade de usar exemplos simples para que a Palavra de Deus, e as escolhas que temos que fazer quando jovens, se tornassem tão reais e vivas bem diante de nossos olhos. Mais significativamente, era sua forte conexão com Deus, a quem ele amava mais do que qualquer outra coisa, e seu profundo desejo e anseio de servi-lo de uma maneira que lhe agradava. Isso causou uma impressão tão duradoura em mim.

Eu vi Markus por muitos anos, em muitas situações diferentes, em muitas circunstâncias diferentes. Nas conferências cristãs, junto com muitos amigos de todo o mundo, que obtiveram ajuda ao ouvi-lo e adoravam estar junto com ele. Em pequenas reuniões em casas particulares, com alguns jovens que desejavam ser discípulos de Jesus e muitas perguntas a fazer. Em um carro, na madrugada de segunda-feira, levando alguns de seus amigos para um hotel a caminho do trabalho, para que eles pudessem tomar um bom café da manhã enquanto ele continuava dirigindo para cumprir seus compromissos. Em uma cafeteria, comprando bebidas e lanches para um grupo de jovens, certificando-se cuidadosamente de que cada pessoa receba sua bebida ou lanche favorito.

Nos aviões, quando viajava pelo mundo por causa de seu trabalho, onde usava os minutos enquanto o avião estava taxiando e decolando para orar pelas pessoas que ele gostava e amava, antes de ligar o computador para continuar trabalhando quando o avião estava no ar. Em pequenas reuniões em hotéis, pousadas, praias, montanhas, em muitos países diferentes, sempre falando sobre a Palavra de Deus, sempre interessado em ajudar as pessoas, com a mesma alegria, energia e entusiasmo. Sempre pronto para todo bom trabalho. Sempre com a intenção de servir e dar a vida (2 Timóteo 3:17; João 15:13).

Eu ainda penso frequentemente em Markus e sua vida. Uma vida que falava mais do que qualquer palavra pudesse falar.

Através da morte, para a vida

“O que é justiça? Alguém pode me dizer o que é a justiça?

Estou de volta àquela reunião especial há quatro anos. A pergunta paira no ar por alguns segundos. Então Markus responde a si mesmo.

“É isso que eu morro; isso é justiça. ” Markus não fala sobre uma morte física, mas fala sobre a morte sobre a qual Paulo escreve em 2 Coríntios 4: 10-12. Uma “morte” por causa do pecado que está em minha carne, minha natureza pecaminosa e as concupiscências que tentam dominar meu corpo e me tornar escravo.

“Se minha carne é autorizada a viver, em uma situação em que sou tentado a raiva ou impaciência, por exemplo, muitas ações injustas podem surgir. Mas meu corpo não deve ser um instrumento para a injustiça! Meu corpo é um instrumento para a justiça! (Romanos 6:13)

A alegria dessa vida justa, em que ele podia colocar sua própria vontade na cruz e morrer para todos os envolvidos em viver por si mesmo, era tão evidente em Markus. Eu acredito que a chave para sua felicidade e alegria na vida, e a razão pela qual ele também poderia ser um exemplo vivo para muitos outros, estava nesse zelo e ânsia de “morrer” para si mesmo. Ele estabeleceu sua própria vontade e sua própria vida, e preferiu seguir a Jesus e correr nesta corrida para se tornar cada vez mais parecido com seu Mestre, a quem ele tanto amava.

As palavras dos sábios são como aguilhões, e como pregos, bem fixados pelos mestres das assembleias, que nos foram dadas pelo único Pastor.” Eclesiastes 12:11. Este versículo me vem quando penso em Markus. Há tantas palavras e expressões que ouvi dele que foram pregadas como pregos em minha memória, que voltam a mim em diferentes situações da vida. Palavras de Deus que eu posso colocar em prática. Palavras de verdadeiro encorajamento e ajuda! O exemplo de sua vida ainda fala em minha memória, ainda mais forte e mais poderoso, e dá as palavras que ele falou poder e autoridade. Eu sabia que o que ele falava era real! Eu já tinha visto com meus próprios olhos!

Estava escrito sobre Jesus que “E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.“. João 1:14. Quando penso no trabalho que Deus foi capaz de fazer nos 35 anos de vida de Markus, isso me enche de um profundo desejo e vontade de também seguir Jesus como discípulo e ser fiel como nunca em minhas circunstâncias. Era evidente na vida de Markus que Deus recompensa ricamente aqueles que são fiéis, em suas situações de vida, por agora e eternidade.

Baixar e-book grátis

A graça em Jesus Cristo

Escrito por Sigurd Bratlie

“Quando as pessoas pensam sobre graça, elas geralmente pensam sobre o perdão dos pecados; e como nós todos pecamos, todos nós precisamos de graça.” Sigurd Bratlie inicia este livreto sobre a graça com estas palavras. Contudo, ele continua a descrever detalhadamente que a graça que está em Jesus Cristo quer dizer muito mais que perdão. Ela também quer dizer verdade e ajuda. Ela nos ensina a não pecar, para que possamos ser completamente livres para viver uma vida de vitórias que leva à perfeição.