Ir para o conteúdo

Por que eu não oro para ser uma mãe paciente

Eu estava tentando ser paciente - mas pelas razões erradas.

Ser paciente e boa mãe tem sido meu objetivo desde que tive meu primeiro filho. Eu quero que meus filhos cresçam em um ambiente seguro e amoroso, onde eles sintam que podem ser eles mesmos e serem amados por isso. No entanto, eu lutei muito com ter paciência com meus filhos até que uma noite eu vi ser uma “mãe paciente” de um ângulo totalmente diferente. Eu não tenho orado para ter paciência com meus filhos desde então.

O que eu estava fazendo errado?

Era uma noite típica colocando as crianças para dormir. Eu estava mais exausta do que o habitual, tinha dor de cabeça e não podia esperar pelo tempo de inatividade depois que as crianças estivessem dormindo.

Enquanto passávamos a rotina da hora de dormir lendo livros, escovando dentes, orações e aconchego, sentia tanta irritação por dentro. Eu orei e orei para que eu pudesse ser paciente com meus filhos.

No final da noite, senti vergonha de como isso aconteceu. Meus filhos choraram de como eu falei com eles e eu definitivamente não estava sendo o tipo de mãe que eu queria ser.

Eu orei e perguntei a Deus o que eu estava fazendo de errado e por que eu não era capaz de ser paciente e boa para os meus filhos, não importava o quanto eu estivesse cansada. Eu disse a Deus o quão exausta eu estava e em detalhes expliquei minhas necessidades pessoais como mãe. Então ficou muito claro para mim que a fonte da minha irritação era o egoísmo – senti que minhas próprias necessidades não seriam atendidas.

Deus deixou muito claro para mim naquele momento que eu estava sendo muito egoísta e orando pela coisa errada. Está escrito em 1 Coríntios 10:24: “Ninguém busque o proveito próprio; antes cada um o que é de outrem,” e em 1 Coríntios 13:5 que o amor “não busca o seu próprio“. Percebi que, em vez de me concentrar no que era melhor para meus filhos, eu estava orando por paciência para lidar com o comportamento que estava interferindo em meus planos. Eu estava tentando ser paciente o suficiente para passar pela rotina de dormir até que eu pudesse chegar ao meu tempo de inatividade, quando eu deveria estar focada nas crianças e suas necessidades e mostrar a elas o quanto são importantes e amadas.

Essa percepção mudou tudo para mim.

O que o Senhor requer de você?

Pouco depois dessa noite, pedi a Deus que me desse um verso para me fortalecer e me guiar como mãe. Peguei meu telefone e procurei por “verso bíblico aleatório”. O que eu consegui foi Miquéias 6: 8: “… e que é o que o Senhor pede de ti, senão que pratiques a justiça, e ames a benignidade, e andes humildemente com o teu Deus?” (ESV)

Esta escritura tem sido um guia real para mim. Estou sendo justa no tratamento com meus filhos, ou espero mais deles se estou cansada ou não me sentindo bem? Meu comportamento mostra que amo a gentileza? E eu estou precisando da contínua ajuda e graça de Deus durante o dia?

Já não oro pela paciência que coloca a variável sobre como meus filhos se comportam. Em vez disso, oro para que Deus me ajude a amar a bondade e faça o que é melhor para meus filhos. Descobri que esse tipo de oração mudou totalmente a maneira como vejo as coisas. Não se trata de como meus filhos se comportam para ajustar minha agenda ou minhas necessidades e eu ter que ser “paciente”, apesar de as coisas não saírem como o planejado. Em vez disso, é sobre como posso mostrar-lhes o amor e a bondade de que precisam naquele momento.

Essa mentalidade não é algo que me mudou em um instante. Acho que todos os dias, e muitas vezes durante o dia, preciso decidir novamente que farei o melhor para minha família.

Eu posso ser o tipo de mãe que eu quero ser

Durante o dia, o que é “melhor para minha família” pode na verdade estar tomando um tanto do tempo que tenho para cuidar de mim mesma, então eu tenho energia suficiente para o dia. Talvez esteja agendando algumas datas de brincadeiras para as crianças, para que eu possa passar mais tempo com outra mãe cuja companhia me deixa refrescado. Em outros momentos, está cancelando compromissos sociais que me deixariam exausto e, ao invés disso, levaria meus filhos para passear na floresta. Eles podem tirar sua energia e eu posso ter uma hora para recarregar, então eu não tenho que depender do tempo de descanso do final da tarde.

Todos os dias estou aprendendo mais sobre o que funciona ou não para minha família. O mais importante para mim é ouvir a pequena voz no meu coração que me guia em cada situação variável. Quando eu ando humildemente com Deus e procuro mostrar amor ao invés de buscar o meu próprio, então eu posso ser a mãe boa e gentil que eu quero ser.

“E a unção que vós recebestes dele, fica em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vos ensina todas as coisas, e é verdadeira, e não é mentira, como ela vos ensinou, assim nele permanecereis.” 1 João 2:27.

Isso não é algo estressante para mim. Eu acho muito reconfortante saber que Deus pode falar comigo, talvez sobre como eu preciso parar a tarefa na qual estou trabalhando e focar no meu filho, pedir perdão ao meu filho por algo que eu disse ou fiz, ou como eu posso fazer um vínculo com cada criança com sua personalidade única, para que elas possam crescer com o tipo de infância e memórias de infância que eu desejo para elas.

Ensinamentos-chave

Descubra como a Palavra de Deus nos desafia e motiva a viver 100% de acordo com a Sua vontade, assim que não precisamos mais cair em pecado, mas que podemos chegar a uma vida de vitória.

Baixar e-book grátis

Uma tão grande salvação

O apóstolo que escreveu o livro aos Hebreus o chama de “uma palavra de exortação”. O objetivo deste livreto é amplificar e expandir sobre esta exortação, trazendo fé e salvação a todos aqueles que têm um chamado celestial. Todos aqueles que seguem à exortação do livro aos Hebreus podem alcançar esta grande salvação.

Siga-nos