Os cristãos devem sempre ser felizes?

Felicidade é algo pelo qual os cristãos devem lutar? Depende da sua definição de felicidade.

Escrito por CristianismoAtivo
Os cristãos devem sempre ser felizes?

Podemos nos perguntar: é um requisito que um cristão seja feliz? É errado se sentir triste se você é um cristão? Muitos dizem que é errado sugerir que um cristão sempre seja feliz.

Isso porque normalmente equiparamos essa palavra aos nossos sentimentos e emoções humanas, quando, na verdade, uma vida cristã não deve ser vivida com base em sentimentos, mas com base na fé!

Eu posso me sentir triste com o estado do mundo. Eu posso estar triste por causa da perda. E, ao mesmo tempo, não preciso perder minha fé e confiança de que Deus tem a mão sobre a minha vida e de que fará com que todas as coisas funcionem juntas para o meu melhor. Com o Seu poder, posso vencer qualquer coisa que me faça perder a paz, a esperança, o contentamento, a alegria no espírito. Se estou esperando para sentir que estou na 9ª nuvem, como diz a expressão, então talvez espere para sempre. Mas tenho essa profunda âncora de fé que, quando está nas mãos de Deus, tudo está como deveria ser? Não é essa a verdade do que é a felicidade? Vamos ver o que a Bíblia diz: “Bem-aventurado aquele que tem o Deus de Jacó por seu auxílio, e cuja esperança está posta no Senhor seu Deus.” Salmo 146: 5.

Leia mais aqui: Alma vs. espírito: Qual a diferença?

O que é felicidade?

A felicidade, como a maioria das pessoas pensa, tende a ser desencadeada externamente e é baseada em outras pessoas, coisas, lugares, pensamentos e eventos. Mas e se não fosse? E se fosse um fundamento profundo de confiança em Deus? Uma pedra sobre a qual eu posso suportar, independentemente de acionamentos externos, outras pessoas, coisas, lugares, pensamentos e eventos. Uma escolha que eu faço, repetidamente na vida. Uma escolha que não sou capaz de fazer com minhas próprias forças, mas que posso fazer usando o poder do Espírito Santo. Mais uma vez, a Bíblia diz: “O que atenta prudentemente para o assunto achará o bem, e o que confia no Senhor será bem-aventurado.” Provérbios 16:20.

Todos nós experimentamos que chegamos a situações em que somos “abalados”. É errado sugerir que alguém seja feliz, mesmo que algo doloroso tenha acontecido em sua vida? Ou que eles deveriam ser felizes, mesmo quando lidam com depressão e outras doenças? É errado se você equiparar felicidade com bons sentimentos. Mas não está errado se a felicidade não é apenas uma emoção humana, mas uma confiança estabelecida em Deus e em Seu amor por mim; um profundo descanso espiritual e certeza. Está escrito “Alegrai-te sempre”. Isso não significa alegrar-me pelo fato de ter acontecido algo doloroso, mas alegrar-me por saber que a mão de Deus está sobre mim, independentemente do que tenha acontecido. Saber que posso confiar nele, que Ele me sustentará e me segurará nas mãos durante os tempos difíceis, nas provações e nas tristezas.

A felicidade não é uma ausência de dor ou tristeza. Jesus foi “homem de dores, e experimentado nos trabalhos.” Isaías 53:3. No entanto, Ele era “ungido com óleo de alegria mais do que a teus companheiros,” porque Ele amava a justiça e odiava a iniquidade. (Hebreus 1:9.) Se eu tiver o mesmo amor pela justiça e o ódio pelo pecado que Ele tinha, então eu também serei ungido e ficarei feliz em meu espírito. “Mas alegrem-se os justos, e se regozijem na presença de Deus, e folguem de alegria. ”Salmo 68: 3.

Não confunda felicidade com prazer

Porque a felicidade também não é o cumprimento de minhas paixões e desejos naturais e humanos. De fato, isso leva ao vazio, à insatisfação e, finalmente, à miséria, depois que o que é descrito como o “prazer passageiro do pecado” termina. Felicidade não deve ser confundida com prazer: prazer ou satisfação derivada do que é do agrado de alguém. É através da vitória  dessas paixões e desejos – o pecado em minha carne – que recebo a felicidade profunda em meu espírito.

“Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam.” Mateus 6:19-20. Saber que algo eterno e infindável está me aguardando depois de uma vida de fidelidade, mesmo através de provações, tristezas e dor, me dá essa profunda alegria interna que nada tem a ver com bons “sentimentos”. Tenho “… uma herança incorruptível, incontaminável, e que não se pode murchar, guardada nos céus para vós. ”1 Pedro 1: 4.

Ser capaz de amar em uma situação que antigamente causava ofensa, amargura ou ira traz alegria genuína ao coração.

Ser capaz de estar em paz em uma situação que no passado causaria ansiedade, medo e turbulência traz alegria genuína ao coração.

Ser capaz de desviar os olhos das coisas que costumavam nos prender traz alegria genuína ao coração.

Ser capaz de servir e dar quando costumávamos estar cheios de preguiça e egoísmo traz alegria genuína ao coração.

 

Você também pode estar interessado em ler mais sobre o tema  na nossa página de tópicos sobre felicidade e alegria, ou assistindo o pequeno filme que segue:

Baixar e-book grátis

O evangelho de Deus

Escrito por Sigurd Bratlie

Graça significa que todo o nosso pecado é perdoado quando o confessamos. Mas ela também significa que nós recebemos poder para obedecer à verdade que Jesus trouxe. Neste livro, Sigurd Bratlie fala sobre isso, mostrando o verdadeiro evangelho de Deus, que é a obediência da fé.