O verdadeiro perigo de viver em um país corrupto

No meio da minha frustração e raiva pelo país em que vivo, recebi uma revelação importante: a oração pelo nosso país é realmente minha responsabilidade.

Escrito por Gadiel Lazcano
O verdadeiro perigo de viver em um país corrupto

Corrupção, assassinato, falta de educação, economia ruim, impunidade, tráfico de seres humanos, extorsão, assaltos à mão armada e assim por diante. Estas são apenas algumas coisas que eu ouvia quando cresci.

Nasci em um país onde temos que lidar com um número incrível de problemas todos os dias. A pobreza e o crime são abundantes. Lembro-me de que aos 10 anos tive uma longa conversa sobre o que devo fazer e dizer se for sequestrado. Era muito difícil pensar nessas coisas nessa idade. É claro que todos esses problemas trouxeram medo, reclamações e xingamentos contra o governo das pessoas ao meu redor, tanto na escola quanto em casa. Quase parecia que todo mundo estava tentando dizer que todos os problemas só existiam por causa do governo. E eu estaria mentindo se eu dissesse que não concordava com eles.

Tornei-me amargo e cheio de ódio contra o governo e o sistema. Ouvir sobre pessoas sendo assaltadas e abusadas sexualmente todos os dias me causava muita dor. Essa dor me fez viver com medo, ódio e queixas em relação a outras pessoas. Não gostei dessa maneira de pensar, mas não sabia o que fazer para mudar a situação. Eu mesmo foi assaltado e me roubaram um par de vezes, então isso não ajuda em nada.

A solução mais fácil para mim foi culpar o governo ou qualquer outra pessoa. Mas, honestamente, isso só me deu uma sensação desconfortável de “paz” e meu estado geral de espírito era: “Seja como for, pelo menos não sou o problema“.

E se eu for realmente o problema?

Quero dizer, desde quando é minha culpa que as pessoas percam o emprego e sejam assaltadas? Não faz sentido, certo? E então me lembrei do que um homem muito sábio disse uma vez: “Se estiver indo mal no seu país, apenas olhe para si mesmo”. E isso é verdade! E se realmente for minha culpa? Digamos que sou apenas 0,01% do problema. Ok, claro, eu posso aceitar isso. Então agora o que?

“Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões, e ações de graças, por todos os homens; Pelos reis, e por todos os que estão em eminência, para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda a piedade e honestidade; Porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador,” 1 Timóteo 2:1-3

Comecei a perceber que eu era realmente uma parte maior do problema. Paulo nos exorta a fazer súplicas e intercessões para quem tem autoridade, mas eu não estava contribuindo para a oração por nosso país. Comecei a olhar mais profundamente para mim e Deus começou a falar comigo: “Quem você acha que orará pelo país? Os ímpios devem orar? Estou esperando que eles orem? De quem é a responsabilidade da oração pelo nosso país? De repente, o problema não era apenas 0,01% minha culpa; tornou-se 100% meu.

“De onde vêm as guerras e pelejas entre vós? Porventura não vêm disto, a saber, dos vossos deleites, que nos vossos membros guerreiam? Cobiçais, e nada tendes; matais, e sois invejosos, e nada podeis alcançar; combateis e guerreais, e nada tendes, porque não pedis. Pedis, e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites.” Tiago 4:1-3.

Quando estamos cheios de julgamentos, acusações e pensamentos de raiva para com os outros, não estamos em uma posição tão ruim quanto aqueles que estamos julgando? Podemos pedir a Deus que pare com todos os assassinatos e infidelidade, mas Jesus disse que quem odeia seu irmão é assassino, e quem olha uma mulher para cobiçá-la já cometeu adultério com ela em seu coração. (Mateus 5: 21-26). Temos que começar focando em nós mesmos e limpando o mal que encontramos lá primeiro. Quando nos livramos de toda a nossa amargura, ódio, julgamento, pensamentos impuros, etc., então começamos a solução na raiz do problema – nosso próprio pecado e egoísmo.

Então, podemos orar de uma maneira que agrade a Deus: “Senhor, dê sabedoria a todas as autoridades para dirigir o país em retidão; amolece o coração das pessoas para que elas possam entender melhor o bem e o mal e cuidar de todas as crianças e pessoas inocentes “. Não precisamos dizer exatamente essas palavras, mas quando permanecemos no amor, Deus nos dá as palavras para o que devemos orar.

Deus precisa de pessoas que estejam dispostas a lutar em oração pelos nossos países. “E busquei dentre eles um homem que estivesse tapando o muro, e estivesse na brecha perante mim por esta terra, para que eu não a destruísse; porém a ninguém achei.” Ezequiel 22:30. Podemos nos tornar essas pessoas em nome de nossos próprios países! Primeiro, começando por nós mesmos e iniciando esta batalha em oração, pedindo que Deus tenha a mão sobre tudo e que ele trabalhará para o bem de nossos países..

Nossas mão devem ficar levantadas

Por que não oramos? Por causa da incredulidade. Em outras palavras, baseamos nossa fé no que vemos e ouvimos. Se nossa fé é que “a corrupção, o crime e a pobreza estão assumindo o controle, e isso nunca irá parar”, é claro que as coisas nunca mudarão. Mas já perguntamos a Jesus e ao Pai se podemos lutar juntos? Se o fizermos, chegamos a uma mentalidade completamente diferente e a fé é derramada em nossos corações. Dessa forma, recebemos a sabedoria de Deus e começamos a lutar juntos! Não importa em que país eu moro. Não importa se as coisas pioram dez vezes. Talvez a princípio as coisas piorem, mas se eu desistir e perder a fé, quem assumirá a causa do país? Devemos manter as mãos levantadas, mesmo que as coisas pareçam “terríveis”. A fé não é sobre o que vemos, mas a garantia total do que ainda não vemos.

Em Êxodo 17: 7-15, lemos a história da luta de Moisés e dos israelitas contra os amalequitas. Enquanto Moisés mantinha as mãos levantadas, Israel prevalecia na batalha. Quando suas mãos ficaram pesadas, Arão e Hur as apoiaram, uma de cada lado. E eles permaneceram assim até os amalequitas serem derrotados.

Que história incrível! Deus não disse a Moisés: “Fique aí, não faça nada, e eu destruirei os inimigos diante de seus olhos.” Não! Moisés estava lutando junto com Deus e seus irmãos para vencer. Se eles tivessem perdido a fé, teriam perdido a luta e os inimigos teriam vencido. É o mesmo conosco. Se perdermos a fé em nosso país, então iremos pelo ralo juntos. Se permanecermos em pé e lutarmos com as mãos erguidas, teremos um futuro, porque Deus disse isso! Cremos no Deus vivo! Aquele que tem todo o poder no céu e na terra!

Vamos manter nossas mãos em pé e lutar pelo Senhor em nossos países! Somos completamente dependentes de Deus e somente a oração nos salvará de todo caos e ilegalidade. Se nós, como cristãos, virmos nossa responsabilidade de enfrentar esta batalha juntos, podemos fazer a diferença!

Você pode estar interessado em ler mais em nossa página de tópico sobre oração, ou nos seguintes artigos:

Baixar e-book grátis

O que significa ser cristão

Escrito por Elias Aslaksen

ser um cristão é uma vida muito mais profunda do que simplesmente pedir para Jesus entrar em teu coração e acreditar no perdão dos pecados. É uma vida de desenvolvimento e crescimento nas coisas de Cristo. Este livreto apresenta os fundamentos de uma vida cristã muito clara e simplesmente.