Ir para o conteúdo

Johan Oscar Smith’s legacy

No ano de 1898 Johan Oscar Smith se converteu a Deus, estando sozinho em um navio da marinha Norueguesa. Hoje, depois de mais de 100 anos, milhares de pessoas devem gratidão a este homem e a sua vida.

No ano de 1898 Johan Oscar Smith se converteu a Deus, estando sozinho em um navio da marinha Norueguesa. Hoje, depois de mais de 100 anos, milhares de pessoas devem gratidão a este homem e a sua vida.Johan Oscar Smith

Em outubro de 1871, exatamente no ano em que a Alemanha se tornou um império, e os Franceses se entregaram na Prússia, Johan Oscar Smith nascia em uma cidade portuária tranquila da Noruega. Ali ele cresceu em um lar cristão, e uma comunidade norueguesa, que ainda foi parte da união sueco-norueguesa por 34 anos.

Depois da conclusão da escola primária, o jovem Johan ingressou na escola secundária. Aqui o senso de justiça congênito acordou, pois o professor da época fazia grande distinção entre os filhos de pais ricos e os filhos de pais pobres. Johan não conseguia suportar isso. Depois de apenas meio ano ele desistiu da secundária e com idade de 15 anos foi a bordo do navio „Ørnen“ (português: Águia). Depois de dois duros anos no mar, ele promoveu-se na marinha norueguesa, a qual serviu praticamente durante 40 anos.

O novo amigo de Johan O. Smith

No dia 19 de Junho de 1898 Smith escreveu uma carta de Horten para sua família em casa em Fredrikstad:

Eu posso dar a vocês queridos pais e irmãos, uma grande novidade, a saber, que estou muito feliz. E por quê? Porque agora recebi a Jesus como amigo e irmão; agora ele é meu tudo. Antigamente não tinha paz em nada, mas graças a Deus do céu, agora tenho paz em tudo.
Como recebeu essa paz, vocês irão perguntar? Eu entendi há muito tempo, que sem Deus não existe alegria verdadeira. Aconteceu em uma tarde de domingo que encontrei O. que tinha entrado no serviço da marinha no mesmo dia que eu. Fomos juntos na igreja metodista. Enquanto estávamos sentados ali, perguntei se ele quisesse vir comigo para casa para jantar comigo, o que aceitou prontamente. Durante a conversa em casa eu fui muito tocado, chorando nos seguramos na mão, e ele orou a Deus por nós. Eu não posso esquecer o que recebi naquela vez. O diabo veio naturalmente, como é de costume dele, mas a oração tinha os seus efeitos, pois na noite seguinte eu tive „Guarda de cão“ (da meia noite até as 4 horas da manhã) a bordo, e em uma pequena torre eu orei a Deus. Parecia muito escuro, mas repentinamente fiquei tão feliz, que ao caminhar imaginava que não tocava o Deck. Sim, apenas Deus pode nos fazer tão felizes, ele seja louvado em tudo!

Revelação sobre as verdades de Deus

Depois de sua conversão Smith tinha o desejo forte de ter uma vida pessoal com Deus. Em decorrência disso, situações repentinamente se tornaram conscientes, nas quais ele, antes da conversão não tinha se comportado de maneira correta com as pessoas a sua volta. Ao perguntar sobre isso para alguns pregadores, recebeu a explicação de que ele estaria debaixo do sangue de Jesus. Por pensamentos assim ele não deveria ficar sem a paz; não se poderia salvar a si mesmo. Porém essa resposta não deixava Johan Oscar Smith satisfeito e então ele começou a colocar as coisas em ordem diante de Deus e das pessoas. Dessa maneira surgiu – como se mostrou mais tarde – um alicerce sólido para o resto de sua vida cristã rica.

Obediência de fé. Umas das primeiras palavras da bíblia que se tornou importante para Smith foi de Romanos  1, 5: „Pelo qual recebemos a graça e o apostolado, para a obediência da fé entre todas as gentes pelo seu nome,.“  Smith entendeu que um cristão somente pode chegar a santificação se for obediente aos mandamentos de Jesus.

zum thema
  • {link=/no/Oppbyggelse/Innsikt/Strength-comes-through-obedience – Glaubensgehorsam}
    {link=/no/Themes/The-life-of-Jesus-Christ/Var-forløper – Christus im Fleisch geoffenbart}
  • {link=/no/Themes/Seier_over_synd – Sieg über bewusste Sünde}

“Cristo revelado em carne“. Essa expressão foi objeto de grandes debates e as explicações de Smith foram rotulados por muitos como heresia. Mas para Smith foi de significado muito maior, a maneira de como se pode contemplar a vida de Jesus. Se tivesse que seguir a Jesus, que não pecou, era muito importante saber se Jesus foi tentado da mesma maneira que ele. Se Jesus não tivesse as mesmas condições que ele, então – afirmava ele – seria injusto esperar, que as pessoas deveriam viver a mesma vida que ele viveu.
Seguir sua própria vontade e seguia a sua própria carne seria o mesmo, afirmava Smith. Jesus tinha uma carne como homem – uma vontade própria – mas ele sempre negou a vontade para que não pecasse (Mt. 26,39). „Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém, um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado.“ Hebreus 4,15. Justamente esse entendimento sobre o negar de sua própria vontade na hora da tentação, deu a Johan Oscar Smith a fé na vitória sobre o pecado consciente na vida pessoal.

„E, sem dúvida alguma, grande é o mistério da piedade: Deus se manifestou em carne, foi justificado no Espírito, visto dos anjos, pregado aos gentios, crido no mundo, recebido acima na glória.“ 1.Timóteo 3,16

Vitória sobre pecado consciente. Smith experimentou que é possível, através do poder do espírito santo, vencer todo o pecado consciente (na bíblia descritos como  „as obras da carne“), porque Jesus abriu esse caminho para nós. O que está escrito em Hebreus 2,18: „Porque naquilo que ele mesmo, sendo tentado, padeceu, pode socorrer aos que são tentados.“ significa que Jesus mesmo, estava cheio do Espírito Santo, e através desse poder podia vencer nas tentações. Se nós chegamos a Jesus, podemos fazer exatamente o mesmo.

Santificação. Depois que Johan Oscar Smith se converteu, recebeu o perdão e colocou suas coisas em ordem, estava ciente de que tinha um caminho diante dele. Era o caminho de para a perfeição, pelo qual ele podia se tornar igual a Jesus. O Espírito Santo mostrou a ele o que não estava perfeito diante dos olhos de Deus. Se condenava e odiava isto, então estava em um desenvolvimento divino – a santificação.

Cristo e a igreja. A igreja é o corpo de Cristo. Cristo é o cabeça e cada membro tem seu lugar no corpo de Cristo. „Ora, vós sois o corpo de Cristo, e seus membros em particular.“ 1. Coríntios 12,27. Smith disse no seu aniversário de 70 anos que sua função mais importante no trabalho foi de conduzir os diferentes membros á Cristo, o cabeça.

Depois de receber essas revelações de Deus naquela época, Smith começou a procurar a conversa com as pessoas á sua volta. Para ele foi extremamente importante mediar aquilo de que tinha sido instruído por Deus. Não obstante esse trabalho não levou a resultados imediatos, pois na Noruega religiosa da época, existiam muitos pregadores carismáticos e queridos, dos quais as pessoas estavam mais entusiasmadas, do que do ensinamento sobre Cristo revelado em carne.

Smith, no entanto, não estava absolutamente interessado em mascarar a verdade e com isso juntar uma multidão, encenar algo grandioso para com isso ter a atenção voltada para sim mesmo. „Deus gostaria muito de ter pessoas que vivam diante de seu rosto, pois existem outros, em número suficiente que vivem diante dos olhos dos homens.“ Isso ele escreveu para seu irmão no ano de 1909.
Para entender mais da teologia da Igreja Cristã, leia aqui: “Nossa fé“.

Os primeiros “irmãos”

Em uma carta de 31 de maio de 1933 Smith  relata do começo modesto da igreja:

Durante um tempo eu freqüentei a igreja metodista, mas não encontrei alimento suficiente e passei a ter reuniões com um pequeno grupo de jovens. Nós orávamos e líamos na bíblia. O espírito de Deus operava poderosamente em mim, de que eu deveria me purificar. Não foi muito rápido mas eu tomei tudo como vindo de Deus e ele me deu força. No ano de 1900, dois anos depois da minha conversão, o espírito de Deus veio sobre mim a bordo do navio guerreiro Sleipner. A escritura ficou mais compreensível do que antigamente. Mas o mais curioso foi que ninguém dos cristãos que eu conhecia, podiam me entender. Eu fiquei só. Mas então encontrava um e outro nos navios ou no arsenal da marinha. Nos reuníamos a noite, orávamos e líamos nas escrituras. 

Johan Oscar Smith with Theodor Ellefsen (left)

Demorou seis anos para que Smith encontrasse alguém com um coração onde essa mensagem ecoasse.

O sargento Theodor Ellefsen, um homem modesto, acabou entrando em contato com Smith em 1904, durante uma reunião da missão interna. Eles conversaram e Ellefsen acompanhou Smith ao um grupo de pessoas que gostariam muito de ter Smith como pregador. Elas gostaram do ensinamento de Smith, no entanto, demonstravam pouco interesse em viver essa vida. Mas isso não correspondia as expectativas de Smith – ele não queria ser o pregador de um grupo de ouvintes passivos. Durante uma reunião, na qual isso se tornou o tema, ele pediu que todos que não queriam ter a vida que ele vivia, deixassem o recinto. Não sobrou ninguém – tampouco Ellefsen, que provavelmente não teve ânimo suficiente para ficar sentado. Quando todos tinham ido, uma palavra de provérbios 24, 11 veio a lembrança de Smith: „Se tu deixares de livrar os que estão sendo levados para a morte, e aos que estão sendo levados para a matança.“ (tradução norueguesa).  Isso induziu ele a sair e ver por aqueles que talvez estavam lá fora  „tremendo“. Realmente encontrou Ellefsen chorando diante dele. Esse não queria perder, a custo nenhum, a ajuda da verdadeira vida divina, que ele experimentou com Smith. Com isso Ellefsen se tornou o primeiro dos „amigos de Smith “, e os dois tiveram pelo resto de suas vidas uma comunhão familiar como irmãos de Jesus.

Ao mesmo tempo Smith começou a ter uma chuva de diálogos e trocas de cartas com seu irmão, nove anos mais novo, o dentista Aksel Smith. Em 1905 Aksel escreveu em uma carta para seu irmão, de que tinha se convertido a Jesus – e a partir disso Smith começou a escrever sobre coisas que ele tinha recebido clareza e as quais tinham se tornado revelação para ele.  Muito disso foi publicado mais tarde no livro „Cartas de Smith Briefe“.

Três anos depois, no ano de 1908, Smith  encontrou o excepcional cadete Elias Aslaksen. Toda a disciplina da marinha ele tinha absolvido com „um“ e com isso uma grande carreira diante de si. Porém quando este encontrou Smith, e ouviu de todas as verdades que este recebeu de Deus, ele deixou tudo para seguir a Jesus. Aslaksen se tornou mais tarde o cooperador mais próximo de Smith e assumiu a responsabilidade geral da igreja depois da morte de Smith em  1943.

Pauline e filhos

No ano de 1901 Smith ficou atento a uma mulher temente a Deus e sincera, Pauline Pedersen. Ela trabalhava em Horten para um empresário e tinha conquistado a confiança deste, através de seu comportamente justo e sincero, tendo assim a responsabilidade de um de seus estabelecimentos. Ela e Smith noivaram e casaram ainda no mesmo ano, bem simples na igreja metodista de Kristiansand. Juntos tiveram seis filhos.

Tesouros Escondidos

Os dois irmãos Aksel e Johan Oscar Smith eram autores ativos em diversos livretos cristãos. Depois que o ensinamento de Smith encontrou resistência, mais e mais seus artigos foram recusados. Através disso surgiu a idéia de editar o próprio livreto. „Precisamos de um livreto atuante, que conduza diretamente ao temor de Deus“, afirmava Smith. Nenhum livreto narrativo, destes já tinha aos montes. Criado de um penetrante interesse e profunda certeza foi editada a primeira edição de „Tesouros Escondidos“ em 1 de janeiro de 1912. Esse livreto é desde então a publicação mais importante da igreja e hoje é traduzido em 28 línguas e enviado a todos os cantos da terra.

“Trabalhou mais que todos os outros”

Smith esteve interessado pelo resto de sua vida, unicamente nessas duas revelações: „Cristo revelado em carne“ e „Cristo e a igreja“. Todos com os quais ele esteve em contato, podiam reconhecer que o ensinamento condizia com a sua vida. Tudo o que ele recebeu em revelação de Deus na sua vida, ele ensinava com muito zelo. Ao contrário de muitos outros pregadores que colocavam ênfase em reunir muitas pessoas a sua volta, ele priorizava trabalhar cuidadosamente com as almas. Ele estava mais interessado em poucos irmãos e irmãs que tinham contato com Cristo, do que muitos adeptos. Um outro desenvolvimento que não fosse esse Smith não queria aceitar. Ele preferia passar um tempo de sua vida sozinho, a cair da verdade.

Na primavera de 1943 a vida de Smith teve fim. Enfraquecido pelo diabetes e com a visão muito debilitada, ele deve que ser guardião da cama por alguns dias. Na noite de 1 maio Johan Oscar Smith foi para o lar, com Jesus – ele faleceu com parada cardíaca repentina enquanto caminhava pelo quarto. Assim a profecia de seu irmão Ludvig se cumpriu, a qual tinha dito em seu próprio leito de morte no ano de 1931: „Johan, o dia que vc falecer, vai falecer em pé“.

Depois de sua morte Elias Aslaksen pode testificar de Smith: „Nunca encontrei um homem como ele. Também em minha vida, nunca antes – nesse país ou qualquer outro – vi ou ouvi alguém que pudesse falar sobre um homem assim.“
O sepultamento de Smith foi o maior já visto em Horten, apesar da restrição de viajar muito rigorosa, em decorrência da guerra. Muitas pessoas agradecidas viajaram, telegramas incontáveis e flores chegaram.

„Não somos adeptos de qualquer forma de instrução, mas sim seguidores de uma fé viva, que produz vida. […] Irmão Smith foi um guerreiro de avanço. Não para instruções mas para cristianismo verdadeiro, para vida divina verdadeira, para justiça, verdade, amor, sabedoria de Deus, pureza e bondade.“ Assim a vida de Johan Oscar Smiths foi resumida por Elias Aslaksen, que recebeu significado eterno para ele e para aqueles que ele conseguiu ganhar para essa vida.

Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem.“ 1. Timóteo 4,16

 

 

Ensinamentos-chave

Descubra como a Palavra de Deus nos desafia e motiva a viver 100% de acordo com a Sua vontade, assim que não precisamos mais cair em pecado, mas que podemos chegar a uma vida de vitória.

Baixar e-book grátis

Eu estou crucificado com Cristo

Este livreto é baseado nas palavras de Paulo em Gálatas 2:20: “Eu estou crucificado com Cristo; não vivo mais eu, mas Cristo vive em mim …” Aqui Elias Aslaksen explica o que isto quer dizer e como os leitores podem ter o mesmo testemunho que Paulo em suas próprias vidas.

Siga-nos