Eu sou uma pessoa amarga?

Você está ciente de quão perigoso é quando você começa a ficar amargo?

Escrito por Frank Myrland
Eu sou uma pessoa amarga?

Você não encontrará muitas pessoas que se descrevem voluntariamente como amargas.

De nossa própria perspectiva, nossa amargura ou insatisfação é sempre completamente justificada. “Simplesmente não era justo”, argumentamos para nós mesmos.

Este é o momento em que a raiz da amargura é plantada: quando sentimos que não conseguimos o que merecemos. Quando nos sentimos como se tivéssemos sido maltratados.

Não se engane, a amargura é um pecado. (Tiago 3: 14-16) É um pecado que rompeu casamentos, amizades e impediu muitas pessoas de encontrar paz e descanso em sua vida cristã.

O que significa “amargo”?

“Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor;
Tendo cuidado de que ninguém se prive da graça de Deus, e de que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se contaminem.”
Hebreus 12:14-15.

Este versículo nos ajuda a entender o perigo que está por trás da amargura. Não é algo simples, inocente ou sem sentido ser amargo – a amargura é uma raiz que se transforma em divisão, acusação e até ódio.

Se a amargura tiver recebido a chance de criar raízes em nosso coração, ela será nutrida toda vez que concordarmos com os pensamentos rancorosos que surgem de nossa carne. Com o tempo, a amargura pode florescer em nosso coração, consumindo qualquer cuidado, amor e gentileza que existia antes. Isso acabará por sair em nossas ações. (Provérbios 4:23) Nossas palavras tornam-se nítidas. Frias. Hostis.

Depois de muitos meses ou anos, podemos nem lembrar exatamente porque nos tornamos amargos em primeiro lugar – tudo o que resta é o ferrão de acusação e ódio.

Muitas pessoas hoje permitiram que a amargura governasse em seus corações. Mas há uma maneira de se libertar dos pensamentos amargos e acusadores! Não precisamos continuar guardando ressentimentos ano após ano por causa dos erros que nos ocorreram.

Vencendo a raiz de amargura

É somente depois de reconhecermos as tendências pecaminosas que fazem parte de nossa natureza que podemos começar a lutar contra elas. É por isso que uma pessoa que justifica ou inventa desculpas por seus ressentimentos, animosidades, inveja ou ombros frios jamais se libertará de sua amargura.

Esta pessoa está alimentando sua carne – cedendo ao seu desejo oculto de proteger sua honra acima de tudo. Essa atitude é completamente contrária a como devemos viver como cristãos. Filipenses 2:21 nos dá uma advertência sobre isso: “Porque todos buscam o que é seu, e não o que é de Cristo Jesus.”.

Nos momentos em que somos tentados a ser amargos, precisamos nos tornar completamente dependentes do Espírito Santo para nos mostrar a verdade sobre nós mesmos. Sem o Espírito Santo como orientação, rapidamente nos tornamos satisfeitos e começamos a lidar com situações com nosso próprio conhecimento – o que apenas nos leva a cair em velhos hábitos.

“Porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis.” Romanos 8:13.

Quando clamamos em necessidade, o Espírito Santo estará lá para nos revelar nossas próprias carências; que não são os outros que precisam mudar, mas há algo em nós que precisa ser condenado à morte. Então, podemos começar a reconhecer verdadeiramente nossas demandas e tendências à amargura como o pecado que é. E o Espírito também nos dará o poder de vencer.

Devemos reconhecer a amargura pelo que é e, em seguida, tomar a firme decisão de odiá-la com um ódio perfeito!

Como podemos odiar o pecado da amargura? Ao ver o dano que isso causa! A amargura nunca pode construir ou edificar. É simplesmente impossível que a amargura produza paz, alegria, amor e descanso.

“Toda a amargura, e ira, e cólera, e gritaria, e blasfêmia e toda a malícia sejam tiradas dentre vós,.” Efésios 4:31.

Ponha um fim aos pensamentos destrutivos!

Custa algo para pôr fim à amargura em nossas vidas. Isso significa que temos que desistir do nosso orgulho e seguir o caminho da humildade. Nossa carne odeia sofrer – mas isso não precisa nos impedir! Em vez disso, podemos nos armar com a mente de Cristo e fazer a vontade de Deus. (1 Pedro 4: 1-2)

Precisamos encontrar a amargura que habita em nós e arranca-a pela raiz! Confie no Espírito Santo para nos guiar e nos ajudar. Escolha seguir o amor e tudo o que flui dele. (1 Coríntios 13: 4-8) É uma decisão que precisamos fazer repetidas vezes em nossos negócios cotidianos. Não importa o que nos aconteça, escolhemos amor e bondade em vez de amargura e pecado.

Sim, a tentação de ser amargo virá novamente, mas a amargura só pode nos prejudicar se concordarmos com essa tentação. Em vez disso, podemos tomar uma posição firme e decidida contra a divisão, contra a inveja e contra o pecado.

Quando tomamos essa decisão de renunciar ao nosso próprio orgulho e estimar os outros acima de nós mesmos, então simplesmente não é mais possível sermos amargos.

“Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo.” Filipenses 2:3.

 

Você pode estar interessado em ler mais em nossa  página de tópicos “Relacionamentos com outros”.

Baixar e-book grátis

Eu estou crucificado com Cristo

Escrito por Elias Aslaksen

Este livreto é baseado nas palavras de Paulo em Gálatas 2:20: “Eu estou crucificado com Cristo; não vivo mais eu, mas Cristo vive em mim …” Aqui Elias Aslaksen explica o que isto quer dizer e como os leitores podem ter o mesmo testemunho que Paulo em suas próprias vidas.