Como você pode se tornar a Palavra de vida sobre duas pernas

Jesus falou palavras de vida que poderiam salvar as pessoas. Sua autoridade veio de fazer a Palavra. Nós podemos obter a mesma autoridade.

Escrito por Aksel J. Smith
Como você pode se tornar a Palavra de vida sobre duas pernas

“O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que temos contemplado, e as nossas mãos tocaram da Palavra da vida
(Porque a vida foi manifestada, e nós a vimos, e testificamos dela, e vos anunciamos a vida eterna, que estava com o Pai, e nos foi manifestada);
O que vimos e ouvimos, isso vos anunciamos, para que também tenhais comunhão conosco; e a nossa comunhão é com o Pai, e com seu Filho Jesus Cristo.”
1 João 1:1-3.

Os apóstolos falaram sobre a Palavra da vida porque eles a viram pessoalmente e a experimentaram em Jesus. Ele é chamado a Palavra de Deus, e deve ser assim que todos que são seus seguidores possam ser chamados pelo mesmo nome. Todos que nos encontram devem ver a Palavra da vida em nós.

Fortalecido pelo Espírito Santo

“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.” João 1:1.

Por causa do pecado, as pessoas estavam em trevas e separadas da Palavra, que é a glória da própria vida. Mas Jesus desceu para nos dar a glória desta Palavra. Ele era como Deus e, embora tivesse desistido disso quando veio à Terra (Filipenses 2: 5-7), foi ungido com o Espírito Santo desde o nascimento. Isso significa que Ele podia ouvir a voz de Deus e fazer a Sua vontade desde quando era jovem. A Palavra de Deus e sua vontade recebera pernas sobre as quais caminhar no meio deste mundo maligno e escuro.

Os discípulos foram ungidos com o Espírito Santo no dia de Pentecostes. Então eles receberam poder para fazer a vontade de Deus, assim como Jesus foi capacitado para fazê-lo. Nós lemos que então a Palavra de Deus se espalhou, e o número de discípulos se multiplicou muito em Jerusalém. (Atos 6: 7) A Palavra de Deus recebeu muitos corpos, muitas pernas sobre as quais caminhar.

A Palavra da Vida: Praticando a Palavra

Toda a plenitude de Deus veio habitar em Jesus porque Ele recebeu a Palavra do Pai e a fez. “E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e verdade.” João 1:14. Não há glória fora da Palavra. Somos transformados de glória em glória, quando o Verbo se torna carne em nós.

A Palavra não está longe, nem alta demais, por isso é muito difícil de encontrar. “Porque esta palavra está mui perto de ti, na tua boca, e no teu coração, para a cumprires.” Deuteronômio 30:14. Se apenas uma Palavra de Deus realmente se tornou vida em nós, recebemos um poder e glória íntimos e inabaláveis, e somos muito mais ricos do que se possuíssemos o maior e mais precioso diamante deste mundo.

No entanto, nem uma única palavra de Deus pode habitar em nós sem encontrar a mais poderosa oposição de nossa carne e as hostes de Satanás. Ainda assim, podemos decidir o resultado dessas batalhas se orarmos para receber a mente que estava em Jesus, e para sermos preservados nela, para que possamos sempre dizer como Ele fez: “Não seja feita a minha vontade, mas a tua. “

Muitas pessoas nunca progrediram mais do que falando sobre a Palavra de Deus; a Palavra de Deus não é revelada em sua vida diária. Cada Palavra de Deus deve ser dita no Espírito Santo, com fé e plena certeza, e deve ser recebida em fé e no Espírito Santo, assim como é – viva e poderosa – para que ela produza vida em nós. Quando a Palavra de Deus se tornou vida em nós, não somos praticantes da religião sem vida. Não, será óbvio que estamos vivos.

“Porque o nosso evangelho não foi a vós somente em palavras, mas também em poder, e no Espírito Santo, e em muita certeza, como bem sabeis quais fomos entre vós, por amor de vós. E vós fostes feitos nossos imitadores, e do Senhor, recebendo a palavra em muita tribulação, com gozo do Espírito Santo…” 1 Tessalonicenses 1:5-6.

“Por isso também damos, sem cessar, graças a Deus, pois, havendo recebido de nós a palavra da pregação de Deus, a recebestes, não como palavra de homens, mas (segundo é, na verdade), como palavra de Deus, a qual também opera em vós, os que crestes.” 1 Tessalonicenses 2:13.

Se recebermos a Palavra de Deus como a palavra do homem, seu poder não será eficaz em nós. Visto que é tão raro alguém receber a Palavra de Deus como é na verdade, Paulo ficou tão agradecido pelos tessalonicenses que ele sempre agradeceu a Deus por eles.

Comunhão na Palavra da vida

Jesus disse: “Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos;”. João 8:31. Os apóstolos tinham comunhão com o Pai e Seu Filho, Jesus Cristo, e proclamaram a Palavra da vida para que mais pessoas pudessem ter comunhão com eles. (1 João 1: 1-3) Assim como há comunhão perfeita entre cada Palavra de Deus, também há perfeita comunhão entre aqueles em quem o Verbo se tornou carne. Somos chamados a nada menos do que uma comunhão tão exaltada, pura e abençoada na luz. O resultado é uma irmandade na qual até mesmo os portões do Inferno não podem formar uma cunha.

Muitas pessoas vivem suas vidas como protestos vivos contra a Palavra de Deus, mesmo quando louvam a Deus com seus lábios. Eles são impacientes, amargos e ingratos. Se jejuamos e oramos muito para sermos abençoados, isso não nos sucederá fora da lei do Espírito da Vida. (Romanos 8: 1-2) Aqui encontramos vida, poder e alegria.

Que a Palavra de Deus se torne vida em nós, para que a glória do Senhor possa irradiar de nós. Que o repouso, a gratidão e a alegria pacíficos de Deus recebam as pernas para caminhar nestes tempos inquietantes e perturbadores. Que haja paciência, humildade, amor e bondade que andam em casa e fora dela. Sim, pode lá por todo um exército de andar “Palavras de Deus” que têm sincera comunhão uns com os outros, com o Pai e com o Filho. João escreve: “Estas coisas vos escrevemos, para que o vosso gozo se cumpra.”. 1 João 1: 4.

Este artigo foi traduzido do norueguês e é uma versão editada de um artigo que apareceu pela primeira vez sob o título “A Palavra da Vida” no periódico Skjulte Skatter (Tesouros Escondidos) da BCC, em junho de 1950.
© Direitos autorais Stiftelsen Skjulte Skatters Forlag

 

Leia mais sobre o cristianismo ativo – vivendo a Palavra – em nosso arquivo de tópico sobre obediência á fé, ou nesses artigos selecionados:

Baixar e-book grátis

O Novo Pacto e o mistério da iniquidade

Escrito por Sigurd Bratlie

O Novo Pacto é um pacto pessoal que nós fazemos com Deus, no qual nós nos comprometemos a obedecer toda a Sua vontade, e por outro lado ele se compromete a nos equipar com tudo o que nós precisamos para o fazer. O mistério da iniqüidade é que a maioria das pessoas nega esta parte da graça que Jesus enviou a nós e, em vez disso, transformam a graça de Deus em uma licença para pecar.