Como receber pelo que oramos

Você já experimentou que a oração nem sempre é respondida da maneira que você acha que será?

Escrito por CristianismoAtivo
Como receber pelo que oramos

Podemos orar a Deus de joelhos: “Oh, dá-me mais amor, mais da tua bondade; me ajude a ser paciente, etc. ”porque sentimos nossa falta dessas virtudes. Como esperamos realmente receber o que oramos de Deus? Um bom pacote de bondade baixou direto em nossos corações para que possamos nos sentir bem? Ou uma plenitude de paciência, para que possamos nos sentir agradáveis e pacientes com nossos filhos e companheiros?

Pelo contrário, em Sua bondade e sabedoria Deus nos envia situações e circunstâncias nas quais encontramos pessoas difíceis, crianças rabugentas e problemáticas, vigílias noturnas, situações financeiras instáveis e cuidados. Em todas estas coisas nos tornamos bem familiarizados com nossa miséria e pobreza. Nós não nos sentimos bem, nem pacientes, nem amorosos! Inimigos nos atacam de todas as direções.

No entanto, este é precisamente o momento em que Deus quer nos dar o que temos orado – as virtudes de Cristo – se nos ativermos às Suas palavras em nossas tribulações. O próprio germe de uma nova vida está contido nessas palavras.

É tarefa de Deus deixar essas palavras germinarem; devemos ser simples e sinceros em obedecer à Palavra, odiando o mal que vemos em nós.

Não percamos a coragem se sentirmos constantemente nossa pobreza e miséria; pelo contrário, podemos nos alegrar, acreditando que Deus nos dará o que Ele prometeu. Por exemplo, quando sentimos apenas irritação ou frustração nas situações em que queremos ser pacientes e longânimos. Entendemos que Deus não vai nos dar as virtudes sem que tenhamos que lutar por elas! Nós temos que lutar contra a irritação e frustração que vem da nossa carne, e pela Sua graça e poder, vencê-los em obediência à Palavra. Então o fruto do Espírito – a natureza divina que nos é prometida – cresce em nós.

É apenas vencendo a natureza humana que recebemos as virtudes como nossa nova natureza transformada. O amor cresce quando venço malícia, ressentimento, amargura, etc. A misericórdia cresce quando venço exigências, julgamentos, pensamentos suspeitos, etc. O contentamento cresce quando venço a inveja, o ciúme e a insatisfação. É assim que recebemos aquilo pelo que oramos!

Isto se torna uma nova vida que é real, não para que possamos “sentir” que nos tornamos tão bons e amorosos, etc., mas que a vida de Cristo aumentará em um vaso muito fraco.

“Em que vós grandemente vos alegrais, ainda que agora importa, sendo necessário, que estejais por um pouco contristados com várias tentações,…” 1 Pedro 1: 6. É assim que Deus determinou que será! Temos que passar por batalhas (provações) para podermos nos apropriar das coisas pelas quais temos orado. Deus nos permite entrar em situações e circunstâncias que despertam os desejos em nossa carne. Desejos como egoísmo, orgulho, malícia, irritação, etc. Mas se nós, como lemos em 1 Pedro 4: 1, sofrermos na carne e vencermos o pecado que encontramos lá, teremos acabado com ele. Definitivamente causa sofrimento à carne abandonar as coisas que estão tão firmemente enraizadas ali, mas esse sofrimento é o que leva à resposta às nossas orações pelo bem.

“Portanto também os que padecem segundo a vontade de Deus encomendem-lhe as suas almas, como ao fiel Criador, fazendo o bem.” 1 Pedro 4:19.

Entramos em todo tipo de sofrimento de acordo com a vontade de Deus e, se formos fiéis, receberemos dele exatamente aquilo pelo qual oramos, justamente nestes sofrimentos.

Portanto, não percamos a coragem, mas sim amamos a vontade de Deus, e então vamos experimentar o que está escrito: “Como contristados, mas sempre alegres” (2 Coríntios 6:10) porque colocamos toda a nossa confiança em Deus.


Este artigo foi adaptado de um artigo originalmente escrito por Nina French e publicado no periódico Tesouros Escondidos (Skjulte Skatter) da BCC em junho / julho de 2019.
© Direitos autorais Stiftelsen Skjulte Skatters Forlag

 

Se você está procurando mais artigos sobre o poder da oração, confira nossa  página sobre oração. Os seguintes artigos selecionados também podem ser de interesse para você:

Baixar e-book grátis

Uma tão grande salvação

Escrito por Sigurd Bratlie

O apóstolo que escreveu o livro aos Hebreus o chama de “uma palavra de exortação”. O objetivo deste livreto é amplificar e expandir sobre esta exortação, trazendo fé e salvação a todos aqueles que têm um chamado celestial. Todos aqueles que seguem à exortação do livro aos Hebreus podem alcançar esta grande salvação.