Ir para o conteúdo

Amor egoísta ou amor de Deus: o que você tem?

Quais são os motivos e resultados do nosso amor? Sufocando o egoísmo ou o altruísmo que dá vida?
Selfish love or God’s love: Which do you have?

Amor egoísta

O amor egoísta gira em torno de “eu”, “eu” e “meu”. Uma pessoa cujo amor gira em torno de si mesmo é como uma aranha no meio de sua teia, segurando todos os fios da mão. Tudo gira em torno de si mesmo. “Eu sou o rei, eu sou deus, eu devo ser amado, honrado e adorado – caso contrário, a minha ira é acesa. “Eu” não vou dar algo para nada. “Eu” primeiro preciso ter certeza de que “eu” será totalmente compensado. “Eu” preciso de tudo e tenho direito a tudo.

Toda a energia do amor egoísta é direcionada para “eu”. Nada flui dela para os outros.

Amor de Deus

O amor de Deus faz com que Seu sol brilhe sobre os justos e os injustos. Ele envia chuva sobre o mau e o bom. Toda a Sua bondade flui – nada é bom demais para ser dado. Assim como o sol brilha desinteressadamente e fornece tudo o que precisamos para comida e roupas, o amor de Deus irradia e transmite todas as coisas que dizem respeito à vida e à piedade.

O amor egoísta é destrutivo

O amor egoísta alimenta uma pessoa – “eu”. No entanto, como esse “eu” sempre quer ser o objeto do amor egoísta, a pessoa em si é dominada pelo amor egoísta. Porque o amor egoísta sempre ignora e se torna alheio às coisas e às pessoas ao seu redor, uma pessoa que é preenchida com ele – esse “eu” – logo se torna presa do poder sufocante do amor egoísta – que é o próprio Satanás. O amor egoísta enlaça sua vítima e a destrói de uma maneira horrível.

O amor de Deus dá e cria vida

O Espírito Santo derramou o amor de Deus em nossos corações. Esse amor se compartilha conosco, de modo que nós mesmos nos tornamos senhores que estão sempre procurando por outros a quem podemos expressar bondade. O amor de Deus nos dá o mundo inteiro para o trabalho – uma área enorme – mas o amor egoísta só pode encontrar uma pessoa, esse “eu”, e até mesmo abusa e destrói essa pessoa.

O amor de Deus deseja compartilhar e dar; cria vida e alegria onde quer que seja. Esse amor é procurado e amado, mas o amor egoísta é odiado em toda parte.

Cristo subiu no alto e deu presentes aos homens. Se quisermos ter presentes para compartilhar, devemos ascender alto o suficiente acima do pó da terra para que possamos ver a necessidade que aflige os filhos dos homens. Quando esses dons são oferecidos livremente e sem egoísmo, as pessoas ficam muito surpresas. Mesmo aqueles que são mais egoístas conseguem um vislumbre do amor – longe, bem acima deles. A natureza desse amor é bem diferente do amor terreno ao qual estão acostumados. É por isso que está escrito que a bondade de Deus nos leva ao arrependimento. Nós nos tornamos o objeto de um amor que vem de fora de nós mesmos – um que é muito superior ao nosso amor egoísta.

Esse amor tem um efeito refrescante: as pessoas admiram e se voltam para ele, querendo possuí-lo, assim como as folhas de uma planta de casa na janela se voltam para o sol. Esta é uma conversão verdadeira. Se nós, como esta planta, continuarmos recebendo a luz do Sol da Justiça, em breve começaremos a florescer e exalar uma fragrância agradável. Nós já temos algo para dar. O amor de Deus implantou algo de sua própria natureza dentro de nós. Nós evitamos o amor egoísta e encontramos prazer permanecendo na luz e compartilhando aquelas coisas que a luz fez crescer em nós.

Compartilhando tesouros celestiais

Um homem rico neste mundo pode – se for bom – fazer muito bem e trazer alegria a muitas pessoas. Da mesma forma, uma pessoa que reuniu riquezas em Deus pode usar essas riquezas para trazer alegria a muitos. Se ele é muito rico, ele pode entreter seus amigos sem medo de ficar sem recursos. Se as riquezas terrenas podem nos fazer felizes neste mundo, quanto mais valiosos são os tesouros celestiais que podem nos tornar eternamente felizes?

Você encontrará o amor de Deus quando deixar que ele o cative. Livremente nós o recebemos e livremente podemos compartilhar seus frutos.


Este artigo foi traduzido do norueguês e foi publicado pela primeira vez sob o título “O que é amor?” No periódico Skjulte Skatter (Tesouros Escondidos) do BCC em setembro de 1917.
© Direitos autorais Stiftelsen Skjulte Skatters Forlag

Você pode estar interessado em ler mais na nosso linck sobre frutos do espírito, ou nos artigos selecionados abaixo:

Você daria sua vida por amor?

“Cuidado de ti mesmo” – uma fonte de bênção

Ensinamentos-chave

Descubra como a Palavra de Deus nos desafia e motiva a viver 100% de acordo com a Sua vontade, assim que não precisamos mais cair em pecado, mas que podemos chegar a uma vida de vitória.

Baixar e-book grátis

Uma tão grande salvação

O apóstolo que escreveu o livro aos Hebreus o chama de “uma palavra de exortação”. O objetivo deste livreto é amplificar e expandir sobre esta exortação, trazendo fé e salvação a todos aqueles que têm um chamado celestial. Todos aqueles que seguem à exortação do livro aos Hebreus podem alcançar esta grande salvação.

Siga-nos