Ir para o conteúdo

A verdade sobre Romanos 7 – fazendo o que eu não quero fazer

Romanos 7: 14-25 não descreve um descrente, ou um crente que vive de acordo com a carne. Descreve um discípulo vitorioso.
Romans 7:14-25 Commentary: Doing what I hate

Em Romanos 7:15 diz, “Porque o que faço não o aprovo; pois o que quero isso não faço, mas o que aborreço isso faço.”

O que Paulo está dizendo aqui pode parecer um pouco estranho – por que você faria o que não aprova? Mas Paulo não está falando sobre cometer intencionalmente pecado (conscientemente ceder aos desejos da carne). Porque quando você voluntariamente comete pecado, você conhece e entende muito bem o que você está fazendo.

Romanos 7:23 – “Outra lei em meus membros”

Paulo estava vivendo uma vida crucificada. Ele não estava servindo a lei do pecado com sua mente. (Romanos 7:25) Na medida em que ele tinha luz *, ele se deleitava na lei de Deus no homem interior. (Romanos 7:22) Isso significava que ele se deleitava em amor, em bondade, em misericórdia – essa era sua atitude mental. Nas áreas em que ele recebeu luz, ele crucificou o pecado em seu corpo. Sua mente que servia a Deus impediu esses desejos pecaminosos.

No entanto, havia muitas áreas na vida de Paulo onde ele ainda não tinha recebido a luz. Aqui ele foi levado cativo pela lei do pecado em sua carne, de modo que ele fez coisas que ele odiava. “Mas vejo nos meus membros outra lei, que batalha contra a lei do meu entendimento, e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros.” Romanos 7:23.

Alguém que está cometendo pecado voluntariamente não está fazendo o que ele odeia, porque sua mente aprova isso. Quando o desejo concebeu, dá origem ao pecado. A concepção ocorre quando consentimos com o desejo com a nossa mente – então o pecado nasce. (Tiago 1: 14-15) Tal pessoa está servindo a lei do pecado com sua mente.

Paulo não estava escrevendo sobre este tipo de pecado em Romanos 7. Ele estava servindo a lei de Deus com sua mente, mas ao mesmo tempo, o pecado que ainda estava presente em sua carne se manifestaria sem a sua aprovação – ele estava servindo a lei do pecado com sua carne. Essas reações da carne poderiam vir como pensamentos ou sentimentos que ele teve que combater (tentação), ou como ações ou palavras reais, que nunca passaram por sua consciência como uma tentação. Ele recebeu luz sobre isso mais tarde, percebendo que eles não estavam de acordo com a vontade de Deus e, portanto, algo que ele odiava (atos do corpo).

A lei é espiritual, mas Paulo descobriu que ele era carnal, vendido sob o pecado. Com sua mente ele serviu a Deus, mas ele também notou que nada de bom habitava em sua carne. (Romanos 7:18) Assim, com sua carne, ele não podia fazer outra coisa senão servir a lei do pecado. Sua mente (que servia a Deus) era contra sua carne (que servia ao pecado), e isso criou uma oposição da vontade em seu corpo. (Romanos 7:23)

“De maneira que agora já não sou eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim.” Romanos 7:17. Não foi Paul (sua mente consciente) quem fez as coisas que ele odiava, mas era o pecado que morava nele (sua carne). (Romanos 7:17) Ele não tinha visto; ele não recebeu luz sobre isso. É por isso que ele exclama, “Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte?” Romanos 7:24.

Leia mais sobre a diferença entre ter pecado e cometer pecado.

A mentalidade de um discípulo

Paulo responde sua própria pergunta: “Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor!” Romanos 7:25. Antes de Jesus vencer e nos deixar um exemplo a seguir, não foi possível à humanidade vencer completamente todo pecado na carne. Mas Jesus agora nos deu o Espírito Santo, que pode nos mostrar o caminho através da carne.

Como Paulo, quando nos arrependemos e começamos a servir a Deus, temos uma nova mentalidade, e não somos mais nós que servimos ao pecado. O que vem da nossa carne não é feito intencionalmente.

Quando estamos em Cristo Jesus e servimos a lei de Deus com nossa mente, não há condenação se fizermos as coisas que odiamos. (Romanos 8: 1) Não estamos condenados por sermos tentados (pensamentos ou sentimentos que nos levam a pecar), nem por ações que possamos ter feito que não passaram pela nossa mente consciente primeiro, para que pudéssemos fazer uma escolha.

Mesmo assim, está escrito que precisamos colocar à morte ou mortificar esses “atos do corpo” pelo Espírito, e então viveremos. (Romanos 8:13) Aqui é uma questão de ser um servo do Espírito. O Espírito indicará nosso pecado – Ele nos conduzirá a toda a verdade e nos dará o poder que precisamos para vencer. Se formos fiéis e obedientes à direção do Espírito, poderemos ver e vencer mais e mais a nossa pecaminosa natureza humana com o passar do tempo.

Não podemos ser mais perfeitos ou servir a Deus mais em um dado momento do que no grau em que recebemos a luz. Mas precisamos andar no Espírito, o que significa agir de acordo com a luz que recebemos. Então poderemos ver mais dessa carne, mais desse corpo de pecado que deve ser destruído com o passar do tempo. Nós nos consideramos mortos para o pecado (Romanos 6:11), então quando uma nova área nos é revelada na luz de Deus, esse pecado também é crucificado. Então somos discípulos de Jesus, negando a nós mesmos e tomando nossa cruz diariamente. (Lucas 9: 23-24)

Esta é uma maneira gloriosa de seguir em frente! Não devemos nos sentir mal quando Deus nos dá mais luz e conseguimos ver nosso pecado nesta luz, mas devemos nos alegrar e ser felizes. Agora podemos fazer algo sobre isso! Agora podemos matar os atos do corpo pelo Espírito. (Romanos 8:13; Tiago 1: 2-3) Não é o Espírito que faz isso por nós; precisamos fazer pelo Espírito. Então entramos na santificação – mais e mais libertação, à medida que o nosso corpo de pecado é destruído pouco a pouco e é substituído por uma nova criação – as virtudes, a vida de Cristo, a natureza divina! (Romanos 6: 5-6; 2 Coríntios 4: 10-11; 2 Coríntios 5:17; 2 Pedro 1: 3-8)

Este artigo foi inspirado em uma fala de Kaare J. Smith de 27 de fevereiro de 2018.

 

*Para obter luz – Obter luz significa que o Espírito Santo lhe dá revelação sobre algo. Por exemplo, você pode obter luz sobre seu próprio pecado e ver que você é egoísta, orgulhoso, etc. Também pode se referir a obter mais discernimento (revelação) na Palavra de Deus. (Salmo 119: 130)

Você pode estar interessado em ler mais sobre a nossa Página de Ensinamentos Chave sobre o pecado e a superação do pecado ou nos artigos abaixo

O que é considerado um pecado?

Can I really be free from sin?

Ensinamentos-chave

Descubra como a Palavra de Deus nos desafia e motiva a viver 100% de acordo com a Sua vontade, assim que não precisamos mais cair em pecado, mas que podemos chegar a uma vida de vitória.

Baixar e-book grátis

O evangelho de Deus

Graça significa que todo o nosso pecado é perdoado quando o confessamos. Mas ela também significa que nós recebemos poder para obedecer à verdade que Jesus trouxe. Neste livro, Sigurd Bratlie fala sobre isso, mostrando o verdadeiro evangelho de Deus, que é a obediência da fé.

Siga-nos