Tende grande gozo: a alegria da vitória nas provações

Como Tiago pode dizer que devemos “ter grande gozo” em nossas provações? Como o sofrimento pode ser alegre?

Tende grande gozo: a alegria da vitória nas provações

“Meus irmãos, tende grande gozo quando cairdes em várias tentações;…” Tiago 1:2.

Tiago testifica aqui sobre a vitória na vida: uma vida de triunfo em todas as nossas várias provações.

Quando ouvimos falar de tal alegria durante as provações? Se você prestar atenção ao testemunho do povo de Deus, ouvirá uma reclamação contínua sobre a derrota e o fracasso em várias provações. Todas as suas tentativas são quase uma maldição porque as derrotas se tornam tantas. E para não ter má consciência, eles devem orar por perdão por tudo isso. Mas foi isso que Tiago quis dizer quando diz que devemos nos alegrar em nossas provações? Não, pelo contrário! Ele quer dizer que devemos vencer em nossas provações. Então, quando houver muitas provações, haverá muitas vitórias e o resultado será uma alegria interminável.

Um ciclo vicioso de pecado e perdão

Uma pessoa fica com raiva e cai. O velho Adão [o ser humano natural com uma natureza caída, que vive de acordo com suas inclinações naturais, ou concupiscência – etc.] fica extremamente irritado um dia – alguém ou alguma coisa o ofendeu. Ele esquece tudo sobre o cristianismo, se deparando com palavras e ações como se o próprio Satanás tivesse sido solto. Ele certamente está longe de ser crucificado. Pelo contrário, o velho Adão está correndo no chão e está ativo em todas as frentes. E agora, alguém discute com ele sobre seus direitos, e ele fica extremamente irritado. Não será fácil para ele falar sobre a vitória na vida (Apocalipse 3: 5) ou sobre ter uma carne crucificada. (Romanos 6: 6) A tentação era grande demais e a derrota se seguiu. Mais uma vez, mais oração pelo perdão dos pecados.

O mesmo acontece com sua vaidade e busca de honra, e todas as outras pestes miseráveis que ele sofre. Em todas as tentações, o velho Adão encontra uma maneira de se expressar, e então não há absolutamente nenhuma alegria nas provações e tentações. Ele (o velho Adão) não consegue contar toda a alegria, mesmo que ele se dê o honroso nome antigo de “pecador penitente”. No entanto, ele é e continuará sendo “o velho Adão”.

Na cruz ou ao pé da cruz?

Ao longo dos séculos, as Escrituras forneceram excelentes conselhos para o “velho homem” [a antiga atitude mental que serve ao pecado], mas é como se as pessoas fossem surdas nesse ouvido. Aqui está um exemplo: “… Sabendo isto, que o nosso homem velho foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, para que não sirvamos mais ao pecado.” Romanos 6:6.

Esta escritura tornou-se tão distorcida através da pregação, escritos e canções que hoje em dia soa mais assim: “No pé da cruz é onde eu quero ficar de pé.”

Onde nas Escrituras está escrito que o velho deve se manter ao pé da cruz? Eu nunca li isso.

Por que podemos contar tudo de alegria quando nos encontramos com as provações

“… Sabendo que a prova da vossa fé opera a paciência.
Tenha, porém, a paciência a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, sem faltar em coisa alguma.”
 Tiago 1:3-4.

Através das várias provações, a vitória sobre o pecado no tempo da tentação nos levará a nos tornarmos perfeitos e completos. Mas se falharmos na tentação para cometermos pecado, estaremos longe de nos tornarmos perfeitos e completos. Nem teremos a alegria de um vencedor.

O caminho foi feito através da carne (Hebreus 10:19-20), e Deus nos leva a nossos inimigos – o pecado em nossa própria carne. Nos encontramos em muitas provações em que somos tentados a pecar, o que nos dá a oportunidade de experimentar muitas vitórias, e isso nos dá muita alegria. Pois nenhuma alegria é maior que a alegria da vitória, que é pura e não adulterada. Traz honra de Deus e respeito das pessoas.

“Eu estou crucificado com Cristo”

Os jovens ouviram tanto deste “pecado e graça” nebuloso e obscuro e pregam sobre “pecar sob a graça” que acham impossível entender tal “cristianismo”. Mas todos podem entender uma palavra como esta: “Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim.” Gálatas 2:20.

Paulo não diz: “Eu moro ao pé da cruz; meu velho homem não é crucificado.

Não, isso não é possível. Precisamos pegar o velho homem na cruz se quisermos encontrar alegria quando entrarmos em várias provações.

Conduzido pelo Espírito

Não podemos permitir que as inclinações de nossos corpos conduzam nossas vidas, pois isso pertence à velha criação – a pessoa que éramos antes de nascermos de novo. Está escrito: “E, se Cristo está em vós, o corpo, na verdade, está morto por causa do pecado, mas o espírito vive por causa da justiça.” Romanos 8:10. O Espírito de Deus é para levar nossas vidas, pois ele nos conduzirá a toda a verdade.

Quando chegamos a Cristo pela primeira vez, viemos como pecadores arrependidos; mas se uma pessoa continua a ser apenas uma pecadora arrependida por 20 ou 30 anos, isso é hipocrisia. Eles pecam esperando a graça, mas não permitirão que a graça os castigue e os ensine. (Tito 2: 11-12) Continuaremos pecando para que a graça possa abundar? Certamente não! (Romanos 6: 1-2)

Quando o velho homem é pendurado na cruz – pela fé – o pecador arrependido, como ele mesmo chama, perde a vida.

Na cruz com o hipócrita! Então podemos contar tudo de alegria quando caímos em várias provações!


Esta é uma versão editada de um artigo que foi publicado pela primeira vez em norueguês sob o título “A alegria da vitória no tempo da tentação” no periódico Tesouros Escondidos (Skjulte Skatter) de BCC, em setembro de 1934.
© Direitos autorais Stiftelsen Skjulte Skatters Forlag

Você baixou nosso , livro online: Estou crucificado com Cristo?”
Você também pode estar interessado em ler mais sobre o nossa página de tópicos–por exemplo, dê uma olhada em: Felicidade e alegria 
A cruz ou Vitória sobre o pecado, ou leia nos artigos abaixo:

Baixar e-book grátis

Eu estou crucificado com Cristo

Este livreto é baseado nas palavras de Paulo em Gálatas 2:20: “Eu estou crucificado com Cristo; não vivo mais eu, mas Cristo vive em mim …” Aqui Elias Aslaksen explica o que isto quer dizer e como os leitores podem ter o mesmo testemunho que Paulo em suas próprias vidas.