Perdão: Pecado, o amor de Jesus por nós e uma lousa limpa (1/3)

VÍDEO: Se podemos ser perdoados por pecados cometidos, por que é tão importante não pecar?

A maioria das pessoas está familiarizada com o conceito de perdão. Jesus deu a Sua vida por nós, para que pudéssemos receber perdão pelos nossos pecados. É claro que isso não nos dá licença para pecar, mas se Jesus morreu pelos pecados cometidos e pelos que vamos cometer, por que é tão importante vencer o pecado?

Nós nos sentamos para uma conversa com Milenko, o editor do CristianismoAtivo, para discutir alguns dos muitos aspectos do perdão. Na Parte 1 desta série de vídeos de três partes, falamos sobre por que precisamos de perdão, como o perdão funciona e por que o sacrifício de Jesus é aplicável a nós.

Assista Parte 2 (Perdão: Condições, colheita, gratidão e amor) e Parte 3 (Perdão: Graça em dobro, nova criação, e eternidade) para mais desta discussão sobre o perdão.
(Transcrição de áudio para este vídeo na parte inferior do artigo)

Outras leituras sobre perdão:

Visite nosso arquivo sobre perdão e culpa.

Arrependimento e perdão dos pecados

Transcrição de áudio

Kathryn:
Aqui no CristianismoAtivo temos refletido muito sobre o perdão, recentemente . Para dar uma olhada em alguns aspectos do perdão de que nem sempre falamos, nos sentamos para conversar com nosso editor, Milenko. Para começar, perguntamos a ele por que precisamos de perdão em primeiro lugar.

Milenko:
Bem, como seres humanos, todos cometemos pecados. O pecado é na verdade uma separação de Deus. Como diz em Romanos 6, o salário do pecado é a morte. Então, para restaurar esse relacionamento, para conseguirmos a redenção, temos que começar com a obtenção de perdão dos pecados cometidos. Isso é uma limpeza.

Kathryn:
Porque todos nós pecamos.

Milenko:
Sim, nós todos pecamos, somos todos pecadores.

Kathryn:
Então, o que é pecado, na verdade? O que significa que todos nós pecamos?

Milenko:
Tendo cometido pecado, cometendo pecado, isso significa que, na verdade, todos nós nos rebelamos contra a vontade de Deus. Nós fomos contra o que Ele quer e o que Ele colocou em nossos corações. Você pode dizer em outras palavras que o pecado é egoísmo. É tudo sobre mim, fazendo o que eu quero. Você pode ver que, com a primeira queda, Adão e Eva, eles cometeram pecado ao desobedecerem a Deus, fazendo o que eles queriam, ao invés do que Deus disse. E aquele pecado que eles cometeram, na verdade caiu sobre nós. Então podemos dizer que temos pecado dentro de nós. É o que sentimos que somos tentados. Mas isso não é o mesmo que cometer pecado. Cometer pecado é viver de acordo com esse desejo. Isso é conscientemente ir contra o que eu sei que é certo, o que Deus me disse que está certo, através da minha consciência, por exemplo.

Kathryn:
Então, a intenção era pecar? Sabíamos que havia uma escolha entre o certo e o errado e escolhemos pecar?

Milenko:
Sim. E eu faço essa escolha, quando quero fazer a minha vontade. Pode ser uma decisão de segundos, mas está lá. Eu tomei essa decisão. E é egoísmo.

Kathryn:
Então, antes que Jesus viesse, no tempo conhecido como a Antiga Aliança, eles também tinham o perdão dos pecados, e eles o fizeram através do sacrifício de animais. Então, como você pode comparar o perdão que temos agora na Nova Aliança, através da morte de Jesus, com o que eles tinham na Antiga Aliança?

Milenko:
Essa é realmente uma boa pergunta, porque você pode se perguntar, por que não podemos continuar sacrificando animais? O problema com isso era que eles tinham que continuar fazendo isso. Eles tinham que voltar de novo e de novo, porque eles continuavam pecando. Isso não os ajudou. E a intenção que Deus queria para eles era que eles parassem de pecar, que eles fizessem a Sua vontade. É por isso que Ele lhes deu a lei. Mas eles não podiam fazer isso, era impossível para eles. Então Deus teve que vir com uma nova solução, e o que Ele fez foi enviar Seu próprio Filho, Jesus, como um ser humano. E o que Jesus fez foi que Ele sacrificou sua própria vontade, então Ele nunca teve que trazer um sacrifício para pagar por pecados que Ele cometeu, porque Ele não cometeu pecado. Ele foi tentado a eles, mas Ele não os fez. Ao fazer isso, Ele realmente sacrificou a própria vida e foi inocente.

Você vê na Antiga Aliança, eles tiveram que trazer um cordeiro que era sem defeito; tinha que ser inteiramente completo; tinha que ser perfeito. E Jesus, na Nova Aliança, foi aquele sacrifício perfeito, porque Ele nunca cometeu pecado. Então, quando Ele foi crucificado como um criminoso, alguém que poderia ser culpado por alguma coisa, quando Ele era realmente inocente, Ele estava realmente tomando sobre Si aqueles salários do pecado que é a morte. Aquele que nunca havia pecado tomou sobre Si aqueles salários. E quem era o culpado? Nós, éramos nós que somos pecadores. Ele estava realmente pagando pelos pecados que cometemos. E essa é a diferença no Novo Pacto. Porque Jesus nunca pecou, embora Ele fosse um ser humano, Ele abriu um caminho para nós. Ele não apenas nos perdoa, mas nos deu a possibilidade de realmente parar de pecar, mostrando-nos o caminho a seguir.

Kathryn:
E Ele veio voluntariamente.

Milenko:
Sim, isso é realmente a grande coisa sobre isso, que Jesus, Ele voluntariamente se tornou um ser humano. Podemos ler em Filipenses que Ele era igual a Deus, que Ele estava no céu com Deus, e Ele se esvaziou e tomou sobre Si a forma de um servo. O que significa que Ele se tornou um ser humano assim como você e eu. E Ele realmente recebeu aquela natureza humana onde Ele foi tentado em todos os pontos como nós somos, sem pecar.

Imagine correr esse risco! Que Ele teve a possibilidade de pecar. E se Ele fizesse isso, não apenas Ele estaria perdido, mas toda a humanidade teria perdido a salvação. Mas Ele fez isso por nossa causa. Que Ele veio voluntariamente, que Ele recebeu uma natureza como a nossa, foi tentado como nós, e foi fiel a vida toda sem pecar. De modo que quando foi crucificado como criminoso, ele era na verdade um sacrifício inocente, que podia pagar pelos nossos pecados.

Kathryn:
Por que Ele faria isso por nós? O que inspiraria, ou o que o motivaria a fazer isso por nós?

Milenko:
Há apenas uma coisa. Isso é amor. E esse é o amor que Deus tem por nós, que Ele enviou Seu Filho. Veja que grande amor Ele teve, que Ele enviou Seu Filho unigênito! E Jesus, que nos amou tanto que estava disposto a fazê-lo. Foi somente por essa razão: que Ele nos ama. O que Ele nos dá agora é um dom gratuito, porque Ele nos ama. E é por isso que podemos receber isso. Nós não merecemos isso, mas Ele faz isso porque Ele nos ama.

Kathryn:
Portanto, permanece o fato de que todos nós pecamos. Então, como Jesus não tendo pecado se aplica a nós?

Milenko:
Sim, esse é o fato, nós pecamos. E como diz em Romanos 6 que o salário do pecado é a morte, então isso é realmente o que nós merecemos. É com isso que Satanás, que é chamado de acusador, vai a Deus. Ele diz: “Essa pessoa pecou, entregue-a a mim”. Ele tem isso, como diz em Colossenses, essa cédula contra nós. E ele está certo. Quando pecamos, é isso que merecemos.

A coisa é que agora Jesus, que nunca pecou, tomou sobre Si aquele castigo, você pode dizer, quando Ele foi crucificado, e Ele morreu. Ele até experimentou a morte espiritual da separação de Deus. Ele clamou: “Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?” Ele até mesmo experimentou isso. Ele pagou o preço. E agora ele é nosso advogado. Então, quando Satanás vem com essa reivindicação contra nós, ele tem essa carta contra nós, Jesus, nosso advogado, intervém e diz: “Espere um minuto! Eu paguei esse preço. Eu realmente paguei o preço por essa pessoa. Ele não é seu, ele é meu! Isso é incrível. Pense sobre isso! Temos um defensor no céu que realmente pagou o preço pelo que fizemos!

Kathryn:
Então, como nós recebemos isso? Nós apenas acreditamos e é nosso? Ou como podemos recebê-lo por nós mesmos?

Milenko:
É importante perceber que não merecemos, não podemos fazer nada para “ganhar” perdão. É um presente grátis, sempre será; é somente pela graça. Nós apenas temos que aceitar isso. E aqueles que creem nele podem receber isso.