Ir para o conteúdo

Perdão: Condições, colheita, gratidão e amor (2/3)

VÍDEO: É preciso muita humildade para admitir que pecamos e falhamos.

A maioria das pessoas está familiarizada com o conceito de perdão. Jesus deu a Sua vida por nós, para que pudéssemos receber perdão pelos nossos pecados. É claro que isso não nos dá licença para pecar, mas se Jesus morreu pelos pecados cometidos e pelos que vamos cometer, por que é tão importante vencer o pecado?

Na parte 2 da nossa discussão com o editor do CristianismoAtivo Milenko, lemos o que a Bíblia tem a dizer sobre os pré-requisitos para o perdão e o que nos impulsiona para frente depois que recebemos o perdão.

Certifique-se de assistir o resto da nossa discussão sobre o perdão em Parte 1 (Perdão: Pecado, o amor de Jesus por nós e uma lousa limpa) e Parte 3 (Perdão: Graça em dobro, nova criação, e eternidade) desta série de 3 partes.
(Transcrição de áudio para este vídeo na parte inferior do artigo)

Outras leituras sobre perdão:

Visite nosso arquivo sobre perdão e culpa.

Eu fui longe demais para conseguir o perdão?

 

Transcrição do Áudio

Kathryn:
Na parte 1 desta série, falamos sobre por que precisamos de perdão e como podemos recebê-lo. Na parte 2, começamos com a pergunta: “Há alguma condição que precisamos cumprir para obter perdão?”

Milenko:
Podemos ler, por exemplo, em 1 João 1: 9, e diz: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça”. Assim, vemos que isso é verdade. um ponto realmente importante. Se confessarmos nossos pecados. É um reconhecimento. Então ele é capaz de nos perdoar. Sem esse reconhecimento, não há perdão.

Kathryn:
E isso exige alguma humildade, admitir que pecamos e falhamos.

Milenko:
Sim, nós realmente temos que nos humilhar. Diga: “Sou pecador e é isso que fiz”. Isso mostra minha atitude mental. O que significa que eu posso estar aberto para o perdão. Então isso é algo que eu posso receber.

Também diz algo relacionado a isso, quando estamos pensando em confissão, não se trata apenas de “eu cometi pecado”, mas precisamos nos arrepender disso. Podemos ler isso com muita clareza. Sobre isso está em Lucas 24:47, “E em seu nome se pregasse o arrependimento e a remissão dos pecados, em todas as nações, começando por Jerusalém.” Por isso foi o arrependimento, então a remissão. Arrependimento, perdão.

Kathryn:
Então, remissão significa perdão, certo?

Milenko:
Sim, é a mesma coisa, é uma eliminação de pecados cometidos. Mas é precedido pelo arrependimento. Isso significa que tenho uma tristeza por ter pecado. É quando vejo o amor que Jesus teve por mim, que realmente sinto essa tristeza por ter pecado contra ele. Isso faz com que eu me arrependa. É porque tenho amor por Jesus. Não porque temo que eu vá para o inferno, ou algo assim, mas é porque eu amo a Jesus.

Kathryn:
E quanto a perdoar os outros?

Milenko:
Bem, isso é um grande ponto. E isso também está escrito, em Mateus 6 podemos ler isso, diz lá em Mateus 6:14, “Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós;.” E isso é importante: “Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas.”

Kathryn:
Isso é bem claro.

Milenko:
Isso é muito claro e muito importante. Este é um ponto realmente importante, que aprendemos a perdoar os outros pelo que fizeram contra nós. Se isso é real ou percebido, mas tenho que aprender a perdoar. E essa é a base para nós mesmos recebermos perdão.

Kathryn:
Havia um verso que eu pensava, com relação ao perdão, e podemos ler que em Efésios 1: 7, diz: “Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a remissão das ofensas, segundo as riquezas da sua graça,. ”Isso parece dizer que não há condições.

Milenko:
Bem, nesse verso vemos realmente a enorme graça que recebemos perdão, sobre o qual falamos. Graça imerecida. Mas nos lembramos de que foi junto com o arrependimento. E aqui podemos ler um versículo que Paulo escreve em Romanos 6: 1: “Que diremos pois? Permaneceremos no pecado, para que a graça abunde? ”Você pode se fazer essa pergunta. Eu recebo muita graça quando eu peco, então eu deveria pecar mais para receber mais graça? Mas Paulo escreve: “De modo nenhum. Nós, que estamos mortos para o pecado, como viveremos ainda nele?”E aqui você vê o que significa arrependimento. É uma mudança de coração. Uma mudança completa de coração. Nós morremos para o pecado. Isso significa que o pecado está morto para nós.

Certamente não! Ele é muito enfático sobre isso. Certamente não! E essa é a atitude mental que devemos ter quando nos arrependemos. É essa mudança de coração. Um giro de 180 graus, que caminhamos em uma direção completamente diferente. Onde vivíamos de acordo com nossos desejos, de acordo com o pecado que fomos tentados, agora servimos a Deus. E isso significa que começamos a lutar contra o pecado. E essa é a nova vida a que chegamos depois do perdão. Essa é a intenção.

Então, a graça que recebemos abre enormes possibilidades para nós. E essa é a graça na nova aliança.

Kathryn:
Que podemos fazer algo sobre o pecado que vemos então.

Milenko:
Nós podemos realmente fazer algo sobre isso, onde na antiga aliança eles nunca poderiam terminar com isso e tiveram que trazer sacrifícios repetidamente, agora há uma oportunidade para nós terminarmos com isso.

Kathryn:
Então isso significa quando nos arrependemos, tomamos uma decisão, e que a partir daquele dia nós simplesmente paramos de pecar?

Milenko:
Bem, isso seria ideal, não seria? Mas acho que, na prática, vamos perceber que não é bem assim que funciona. A coisa é, arrependimento é uma mudança de atitude, agora eu não quero mais servir ao pecado, quero servir a Deus, então é para isso que eu começo a trabalhar. E você pode dizer que então eu começo a seguir Jesus em um caminho para a perfeição. Mas é como uma criança aprendendo a andar. Você sabe, eles começaram a andar e caíram com bastante frequência. Mas caindo, isso não é o mesmo que viver em alguma coisa. Você não pode dizer, por exemplo, que você “cai”, “comete uma queda”. Isso acontece, não foi intencional. E isso é importante para entender, que se começamos a andar e caímos, não é o fim do mundo. Claro, é pecado, e nós temos que nos arrepender novamente, e nós temos que pedir perdão novamente. Mas Jesus também perdoa isso.

Mas tudo tem a ver com essa atitude mental. Eu me levanto e continuo indo. Isso é realmente importante para entender. Mas a conversão, o arrependimento daquilo de viver em pecado, vivendo de acordo com minhas concupiscências. Agora eu começo a andar. Eu estou indo em uma direção diferente.

Kathryn:
Então, é importante que, se caímos, como aquela criança aprendendo a andar e nós caíssemos, e nos levantássemos de novo, é importante pedir perdão todas as vezes? Ou, ter sido perdoado significa que agora estamos perdoados toda vez que caímos?

Milenko:
Significa absolutamente que precisamos pedir perdão novamente, porque cometemos pecado. O perdão está prontamente disponível, mas ainda tenho que mostrar o mesmo remorso. Ainda é uma queda, ainda é uma derrota, você pode dizer, nessa situação. E eu realmente tenho que mostrar meu arrependimento, que isso não é o que eu quero. É contínuo. Mas eu posso aprender com isso e posso aprender a fazer melhor da próxima vez. Esse é o desenvolvimento de um cristão.

Kathryn:
Então não podemos ter essa atitude que não é grande coisa.

Milenko:
Não, absolutamente não. Porque então você está realmente fazendo o que eles estavam fazendo no Velho Pacto, que você tem que repetidamente trazer sacrifícios porque você não está realmente pretendendo desistir. E então você está usando Jesus como um desses sacrifícios, como fizeram na Antiga Aliança. E você, com efeito, crucifica-o novamente. De novo e de novo. Isso é realmente uma atitude ruim. Isso não está mostrando amor a Jesus.

Kathryn:
Ok, eu entendo o que você está dizendo, mas se, por exemplo, mentir me tira de uma situação complicada, ou isso torna minha vida um pouco mais fácil em uma situação e isso realmente não machuca ninguém, parece que talvez isso não seja uma coisa tão séria.

Milenko:
Bem, pense nisso. Tudo tem a ver com sua atitude e seu relacionamento com Deus. Se você realmente ama a Deus, você não quer fazer nada contra ele. E pecando, neste caso mentindo, isso vai contra a vontade de Deus. Então você está realmente fazendo algo que Deus não quer. É uma atitude mental tão ruim, pensar que posso continuar fazendo isso, porque Deus vai me perdoar de qualquer maneira. Não tem nada a ver com amor. E essa é a razão pela qual fazemos isso. Porque nós O amamos porque Ele nos amou primeiro. E a base do perdão é baseada nisso também. É importante que nós amamos a Deus porque queremos. Não porque Ele está nos forçando. Não porque obtemos ganhos pessoais, mas porque amamos a Deus. E não são razões egoístas. Não podemos viver de maneira egoísta, porque é isso que é pecado: egoísmo.

Kathryn:
Então, se eu contar essa pequena mentira, para me proteger, isso só mostra que eu não tenho nenhuma consideração por Deus.

Milenko:
A coisa a lembrar é que o pecado, vivendo de acordo com minhas concupiscências, é egoísmo, e não há amor nele. E o que eu faço realmente afeta outras pessoas também. Isso sempre acontece. Você pode pensar, é uma coisa pequena, não afeta, mas acontece porque eu estou sendo egoísta. E se Jesus me amou, o que devo aos outros? Eu também tenho que amá-los. Isso é tudo parte disso. É isso que eu sou cheio de reconhecimento, gratidão, amor a Deus, e isso se traduz em amor ao meu próximo. Essa também é uma razão para não pecar.

Kathryn:
E a Bíblia também diz que nós realmente temos que colher por todo pecado que cometemos?

Milenko:
É isso mesmo, temos consequências para o pecado. Tudo o que fazemos tem consequências e o perdão não tira a colheita. E se você semear de acordo com suas concupiscências, então você tem que colher isso. Por exemplo, você pode ter pensamentos, mesmo depois de ter se convertido, você tem perdão, pensamentos da sua antiga vida podem surgir e isso pode ser um fardo para você. Ou um relacionamento que foi estragado pelo seu egocentrismo que você tem que corrigir agora. E isso pode levar tempo.

Kathryn:
Então, não é como se colher fosse algum tipo de punição física que você deveria esperar, ou algum tipo de coisa horrível aconteceria?

Milenko:
Não, isso não é o que é. São os efeitos posteriores, as conseqüências de viver uma vida de acordo com suas concupiscências; vivendo em pecado. É sobre isso. E o perdão não tira as conseqüências, a colheita.

Kathryn:
Então, se eu não tivesse pecado primeiramente, eu não teria que lidar com todos esses efeitos de ter feito isso.

Milenko:
Não, isso mesmo. E assim, depois que somos perdoados, é nisso que temos que nos concentrar, que continuamos uma vida em que não precisamos colher consequências negativas, mas que nossa colheita é do bem que fazemos.

Mas a coisa é que temos que colher da nossa antiga vida, e agora temos que usar isso como uma oportunidade para mais salvação, e uma oportunidade para realmente mostrar que servimos a Deus apesar disso. Isso também está mostrando nosso amor por ele.

 

Siga-nos