Este site usa cookies para reconhecer visitas repetidas e preferências, para fornecer recursos de mídia social e para analisar o tráfego. Ao clicar em “Aceito” ou ao usar nosso site, você concorda com o uso de cookies e com nossos Termos de Uso.
Do que a fé pode poupá-lo (a)

Do que a fé pode poupá-lo (a)

“Vaidade de vaidades, tudo é vaidade.” Estas são as palavras que Salomão escreveu com base em suas próprias experiências.

5 minutos ·

Vaidade de vaidades – Uma observação baseada na experiência

“’Vaidade de vaidades! — diz o pregador, vaidade de vaidades! É tudo vaidade..’” Eclesiastes 1:2.

Se acreditarmos no que está escrito no livro de Eclesiastes, podemos ser poupados de muitas buscas inúteis na vida. Pode-se imaginar que Jesus deve ter lido este livro nos primeiros anos de sua vida e levado a sério. Salomão escreveu sobre vaidade e futilidade com base em suas próprias experiências: “E tudo quanto desejaram os meus olhos não lhos neguei, nem privei o meu coração de alegria alguma; mas o meu coração se alegrou por todo o meu trabalho, e esta foi a minha porção de todo o meu trabalho. E olhei eu para todas as obras que fizeram as minhas mãos, como também para o trabalho que eu, trabalhando, tinha feito; e eis que tudo era vaidade e aflição de espírito e que proveito nenhum havia debaixo do sol. ” Eclesiastes 2: 10-11.

Um grande número de pessoas tem, em vários graus, buscado o mesmo durante seus dias "sob o sol". Eles cederam a tudo o que seus olhos desejavam e não privaram seus corações de qualquer prazer, apenas para chegarem mais ou menos à mesma conclusão: “vaidade de vaidades!” É tudo vaidade (futilidade) e apego ao vento. Não leva à felicidade e realização, mas apenas a um vazio maior. Portanto, é uma grande sabedoria para um jovem evitar se juntar a um grande número de pessoas. Quanto? Por acreditar nas palavras de Salomão. Acreditando que todas as buscas mundanas são apenas "agarrar o vento", para que eles não se entreguem a eles. Então, eles podem usar seus dias para buscar aquilo que traz benefícios eternos!

A vida é uma jornada muito curta de semear para o bem ou para o mal e colher os resultados do que semeamos. (Gálatas 6: 7-8) Salomão deixa bem claro o vazio que colheremos se tivermos nossa mente voltada para as coisas da terra. Não é de admirar que ele dê este conselho: “Lembra-te do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais venhas a dizer: Não tenho neles contentamento;.'” Eclesiastes 12: 1 . Se não fizermos isso, não apenas perderemos oportunidades de acumular tesouros eternos, mas também passaremos por dias desagradáveis à medida que a vida progride. É impressionante pensar em casamentos e lares desfeitos, prisões, vícios indesejados, dívidas desnecessárias, rancores que acabam com amizades e muitas outras tristezas das quais as pessoas poderiam ser poupadas se prestassem atenção a isso!

De tudo o que se tem ouvido, o fim é:

Salomão termina o livro com a sabedoria que nos ensina como viver uma vida que se opõe totalmente ao apego ao vento: “ De tudo o que se tem ouvido, o fim é: Teme a Deus e guarda os seus mandamentos; porque este é o dever de todo homem. Porque Deus há de trazer a juízo toda obra e até tudo o que está encoberto, quer seja bom, quer seja mau. ”. Eclesiastes 12: 13-14. Se, em vez de ceder a tudo o que nossos olhos desejam - as concupiscências e paixões da carne - nos entregarmos totalmente à obediência à palavra de Deus, cultivaremos uma abençoada comunhão com Jesus e outros que escolhem este mesmo caminho. Podemos passar nossa vida acumulando tesouros no céu.

“Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam. Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam, nem roubam..” Mateus 6:19-20.

No final de seu evangelho, João reflete sobre a vida relativamente curta de Jesus: “Há, porém, ainda muitas outras coisas que Jesus fez; e, se cada uma das quais fosse escrita, cuido que nem ainda o mundo todo poderia conter os livros que se escrevessem. Amém!" João 21:25. Parece que João tinha seus pensamentos não apenas nas muitas obras externas de Jesus (curas, outros milagres, atos bondosos, mensagens edificantes, etc.), mas também na obra que ocorria em seu homem interior. Por exemplo, quando Jesus foi tentado pelo diabo no deserto com pensamentos para se exaltar, ele venceu as tentações com a palavra de Deus. (Mateus 4: 1-11.)

Essa fidelidade interior deu a ele oportunidades abundantes de agradar a Deus no meio da vida cotidiana. É evidente que Jesus usou todos os momentos possíveis de sua vida fazendo o que Salomão declarou como o propósito de vida - temendo a Deus e guardando seus mandamentos. Que muitos sigam seus passos, dedicando-se inteiramente a fazer a vontade de Deus e, assim, evitando a futilidade de buscar ganhos mundanos. Que possamos antes armazenar para nós mesmos tesouros que têm valor agora e por toda a eternidade! Quão diferente de viver nossas vidas para tentar satisfazer nossos desejos e terminar com a mesma conclusão de Salomão: Vaidade de vaidades.

esta postagem está disponível em

Escritura retirada da New King James Version®, a menos que especificado de outra forma. Copyright © 1982 por Thomas Nelson. Usado com permissão. Todos os direitos reservados.