Como navegar pelo campo minado de nossa carne

Nosso tempo na carne pode ser comparado a uma viagem através de um campo minado. Como podemos fazê-la com segurança?

Escrito por Kathryn Albig
Como navegar pelo campo minado de nossa carne

As paixões e desejos da carne são o pecado que temos. É somente quando agimos de acordo com essas paixões e desejos  que eles se tornam pecados que cometemos. Se estamos levando em nosso corpo a morte do Senhor Jesus, essas paixões e desejos nunca precisam ser mais do que uma tentação. (2 Coríntios 4:10; Gálatas 5:24)

“Sempre levando em nosso corpo a morte do Senhor Jesus” significa que as paixões e os desejos não podem viver e governar nos nossos corpos. Jesus Cristo foi o primeiro a levas esses desejos da carne, até a morte, por isso é chamado de “morrer do Senhor Jesus”. Ele veio na mesma carne que as crianças e consagrou o caminho através da carne sem ceder nem sequer uma vez aos desejos e as paixões que habitavam nele. A carne que Ele possuiu foi uma e a mesma coisa que a carne que temos. (Hebreus 2: 10-18)

Uma viagem através de um campo minado

Nosso tempo na carne pode ser comparado a uma viagem através de um campo minado. Está cheio de paixões e desejos que nos atraem, mesmo quando sabemos muito bem que eles vão explodir em nós. Estes incluem ciúmes, explosões de ira, adultério, ódio, ambições egoístas, etc. Conhecemos o perigo dessas coisas. No entanto, antes de Jesus entrar na carne, o campo minado estava escuro, nenhum caminho já havia sido feito, e as pessoas tinham que tropeçar impotentes, incapazes de evitar o pecar.

Mas então Jesus veio com exatamente a mesma carne e sangue que temos, e Ele, desde o início de Sua vida até a Sua morte no Calvário, navegou nesse campo sem antes cair no perigo ali. (Hebreus 4:15, Hebreus 10: 19-20) Em outras palavras, quando Ele encontrou as paixões e desejos lá, Ele não permitiu que eles vivessem. Ele os trouxe para a morte – o “morrer do Senhor Jesus”.

Quando Ele terminou de abrir o caminho, Jesus nos enviou o Espírito Santo, que estava com Ele enquanto Ele abria o caminho, e agora nos pode mostrar o caminho. O Espírito Santo é nosso guia através da carne, mostrando-nos como manter-nos no caminho estreito. E nós temos as Escrituras para iluminar o caminho. “Sua Palavra é uma lâmpada para os meus pés e uma luz para o meu caminho”. Salmo 119: 105.

Seguir a Jesus no caminho que Ele abriu

Nós temos a mesma carne que Jesus, esse campo minado, aquelas paixões e os desejos. Esse é o pecado que temos em nossos corpos, porque somos humanos. (1 João 1: 8) No entanto, só porque o temos não significa que devemos cometer o mesmo. Pelo contrário, como discípulos de Jesus Cristo, seguimos nosso precursor no caminho que Ele abriu, colocando tudo o que encontramos ali até a morte de Cristo, assim que o encontremos. Essa bomba de ganância não precisa explodir. O desejo de impureza não precisa explodir. Quando encontramos essas bombas, as destruimos imediatamente, no poder do Espírito Santo, que já fez isso antes, e o fará novamente.

Como fazemos isso? Primeiro, julgamos isso. “Isto é pecado; Isso é inveja (ou  o que for que seja), e isso é mau e errado, e só me causará danos a mim e a qualquer pessoa que toca.” Então o odiamos. “Deus, ajude-me a ver isso tão mal como realmente é, me ajude a ver e compreender o perigo de permitir que isso viva, e odiar com todo meu coração e amar a justiça e amar a ti mais do que aos meus desejos.” Então matamos isso. “Deus, dê-me toda a força e o poder que preciso para resistir a isso, para superar os pensamentos e os desejos e, em vez disso, fazer Sua vontade”.

O resultado de limpar o campo minado

Então, paramos as concupiscências antes de serem concebidas, antes de se tornarem pecados, antes de terem tempo para causar a morte e a destruição. (Tiago 1: 14-15) Imagine o quanto melhor é parar os pensamentos de maldade ou ódio no primeiro momento em que nos tornamos conscientes deles, quando ainda são apenas sementes de descontentamento, ao invés de permitir que cresçam e floresçam e se tornem enormes problemas . A vida sem o fardo do pecado é incomparável a uma vida de servir nossas concupiscências.

E o que encontramos então, quando carregamos em nosso corpo “a morte do Senhor Jesus”, quando colocamos o pecado na morte? Que a vida é pacífica e cheia de descanso. “Grande paz tem aqueles que amam sua lei”. Salmo 119: 165. Toda agitação é conseqüência de ter pecado que não foi morto. “De onde vêm as guerras e as lutas? Eles não vêm de seus desejos por prazer que guerreia em seus membros?” Tiago 4: 1. Quando esses desejos são condenados à morte, de maneira que não mais gritam para serem cometidos, isso traz a paz. O campo minado é “limpado”, e em vez de causar morte e destruição, nossa natureza pode começar a produzir culturas vivificantes – as virtudes de Cristo. Esta é a nova criação que Deus pode então trabalhar em nossas vidas. Então, somos verdadeiramente livres.

Baixar e-book grátis

Eu estou crucificado com Cristo

Escrito por Elias Aslaksen

Este livreto é baseado nas palavras de Paulo em Gálatas 2:20: “Eu estou crucificado com Cristo; não vivo mais eu, mas Cristo vive em mim …” Aqui Elias Aslaksen explica o que isto quer dizer e como os leitores podem ter o mesmo testemunho que Paulo em suas próprias vidas.