Ir para o conteúdo

A Terceira cruz: Tomando sua cruz diariamente como discípulos

Com a terceira cruz, todo nosso ser interior pode ser transformado na imagem de Cristo.

Ao tomar a segunda cruz terminamos com server ao pecado com a nossa mente. Isto deve ser ativo em nós, se quisermos receber graça para viver uma vida que está escondida com Cristo em Deus, que entra em vigor com a terceira cruz. (Colossenses 3: 3-4) Quando a segunda cruz está ativa, o Espírito Santo vem a nós e escreve leis e mandamentos em nossos corações e mentes – leis que nos libertam de fazer nossa própria vontade; Leis que vão além das obras manifestas da carne. (Gálatas 5: 19-21)

Em obediência ao Espírito, tomamos a terceira cruz, que é a cruz de que Jesus fala em Mateus 16:24 e Lucas 9:23. “Se alguém deseja vir após Mim, negue-se a si mesmo, tome cada dia a sua cruz e siga-Me.” Lucas 9:23. A exortação de Jesus implica uma salvação profunda, muito mais do que receber o perdão pelos pecados cometidos (a primeira cruz) e deixar o pecado manifesto (a segunda cruz). Isto é o que é uma vida de discipulado genuíno. Através desta cruz participamos de Cristo, que é a sabedoria de Deus, com o resultado que somos conformados à imagem de Jesus. (1 Coríntios 1: 21-25, Filipenses 3: 7-11)

Paulo escreve sobre o encontro da lei do pecado em nossos membros que vão contra a vontade de Deus. Esta inclinação para o pecado também é chamada de “pecado na carne” ou “minha vontade”, e também está presente em um crente convertido que recebeu o perdão e que deixou de cometer pecado manifesto. (Romanos 7: 22-23) Isto é o que João quer dizer quando diz que todos temos pecado. (1 João 1: 8) Paulo, que tinha a mente para seguir a Cristo, descobriu que esta lei estava operando em seus membros, e clamou: “Ó homem miserável que eu sou! Quem me livrará deste corpo de morte? “Romanos 7:24. Imediatamente depois ele dá a resposta: “Eu agradeço a Deus – por Jesus Cristo, nosso Senhor! Assim, com a mente, eu mesmo sirvo a lei de Deus, mas com a carne a lei do pecado. “Romanos 7:25. A resposta está em ver como Jesus o fez.

Nossa “vontade própria” (ou própria vida) é o pecado na carne que todos nós herdamos. Como homem, Jesus também herdou essa vontade própria, e foi tentado, mas Sua firme determinação desde o início foi: “Não se faça a minha vontade, mas a tua” (Lucas 22:42, Hebreus 4:15; Hebreus 10: 5-7) Ele teve que aprender obediência, porque Ele também tinha uma natureza humana. (Hebreus 5: 7-8) O Espírito de Deus apontou o pecado em Sua carne, e Jesus concordou com o julgamento. Desse modo, o pecado foi condenado na carne de Jesus, e Ele abriu um caminho que todos os Seus discípulos poderiam seguir, o qual podemos chamar de caminho da cruz. (Romanos 8: 3-4, Hebreus 5: 7-8, 1 Pedro 4: 1-2)

Jesus nos diz como isso é feito quando Ele diz que um discípulo deve “tomar a sua cruz diariamente” e segui-Lo. Aqui Jesus não está se referindo à primeira cruz, a cruz do Calvário, onde não podemos segui-Lo como um sacrifício pelos pecados dos outros, nem foi a segunda cruz, onde o pecado manifesto é deixado, porque Jesus Nunca pecou e não precisou deixar o pecado. A cruz a que Jesus se refere é a terceira cruz, uma “cruz interior” metafórica que Ele mesmo usou todos os dias de Sua vida na terra. Foi sobre esta cruz que todo pecado em Sua carne foi “crucificado” quando recebeu seu julgamento. Essa abnegação causou sofrimento em Sua carne, mas trouxe a morte ao pecado, de modo que a inclinação ao pecado nunca foi traduzida em pecado real em pensamento, palavra ou ação. Isso aconteceu diariamente, até que todo o pecado na carne de Jesus foi condenado, e Ele pode gritar: “Está consumado!” Quando Ele foi crucificado no Calvário. (João 19:30) Foi por isso que Ele exortou Seus discípulos a segui-Lo, tomando a sua cruz e odiando suas próprias vidas (ou vontade própria). (Lucas 14: 26-27) (Leia o tópico Essencial “Cristo manifestado na carne” para saber mais.)

“Portanto, uma vez que Cristo sofreu por nós na carne, armai-vos também com o mesmo pensamento, pois aquele que sofreu na carne já cessou do pecado “1 Pedro 4: 1.

Pedro escreve que devemos nos armar com o mesmo pensamento que houve em Cristo. Tomando nossa cruz diariamente como Jesus fez, e pela revelação do Espírito Santo que Deus enviou a nós depois que Jesus venceu todo o pecado em Sua carne, toda Sua própria vontade, o Espírito Santo pode continuamente mostrar-nos novas áreas da nossa natureza humana, a nossa carne, que precisam ser purificados. Gradualmente, nossa velha natureza é substituída pelas virtudes de Cristo, e nos tornamos cada vez mais sintonizados com a voz e a vontade de Deus. Tomando nossa cruz diariamente, nosso espírito humano é libertado da carne através do sangue de Cristo, e é a força motriz nesta nova criação pelo Espírito Santo.

É possível ter vitória sobre as concupiscências carnais, ter uma boa consciência e viver uma vida exterior respeitável, mas sem tomar a nossa cruz diariamente ela permanece alma – terrena. Qualquer progresso espiritual só é possível tomando a nossa cruz e deixando morrer a nossa própria vontade, o pecado que temos em nossa carne. A palavra de Deus divide entre alma e espírito. (Hebreus 4:12) Quando isso ocorre, entramos em uma salvação mais profunda e transformação de todo o nosso ser interior na imagem de Deus. Esta cruz nos leva de reagir de uma maneira humana e terrena, para se tornar cada vez mais espiritual, participantes da natureza divina!

Jesus foi o primeiro a seguir este caminho da cruz, e Ele nos convida a nos tornarmos Seus discípulos e a segui-Lo da mesma maneira. A morte sobre o pecado que Ele usou é agora algo que usamos. “… sempre carregando no corpo a morte do Senhor Jesus, para que também a vida de Jesus se manifeste em nosso corpo”. 2 Coríntios 4:10. Quando a “morte de Cristo” é ativa, a sabedoria e compreensão que é do mundo e que vem de baixo – que é exaltar a si mesmo – é trazida a nada. Nossa glória humana e honra de acordo com este mundo desaparece aos olhos dos homens, porque a sabedoria deste mundo é querer ser algo e ter um nome. (Gálatas 6:14; 1 Coríntios 1:19) Mas esta cruz nos liberta deste mundo, assim como a vida de Cristo aumenta em nossas vidas. Através da cruz estamos preparados para nos tornarmos a noiva de Cristo, a Nova Jerusalém que desce do céu. (Apocalipse 21) Os que são terrestres permanecem na terra, mas aqueles que vencem, tomando a sua cruz, continuam a aperfeiçoar-se a cada dia (Filipenses 3: 12-14) e têm a imagem celestial – tornam-se celestiais como Jesus é Celestial, e receberão um corpo que é o mesmo que Seu corpo glorificado. (Filipenses 3: 17-21)

1

A mensagem da cruz:

A cruz é um dos símbolos do cristianismo mais conhecidos, mas o seu significado vai muito além da cruz do Calvário.

Ler mais
2

O que é “a cruz”?

A Escritura efetivamente fala de três cruzes.

Ler mais
3

A primeira cruz: A cruz do Calvário

Esta é a cruz que leva ao perdão dos pecados.

Ler mais
4

A segunda cruz: Crucificando o velho homem e a carne com suas paixões e desejos

Essa “crucificação” é necessaria se quisermos nos tornar Discípulos.

Ler mais
5

A Terceira cruz: Tomando sua cruz diariamente como discípulos

Com a terceira cruz, todo nosso ser interior pode ser transformado na imagem de Cristo.

Ler mais
6

Qual é o resultado de tomar a nossa cruz?

Um futuro glorioso no conhecimento de Cristo.

Ler mais
Siga-nos