A segunda cruz: Crucificando o velho homem e a carne com suas paixões e desejos

Aqueles que estão verdadeiramente cansados de seu próprio pecado e têm um desejo genuíno de entrar em uma nova vida, são levados ao arrependimento pela bondade de Deus. (Romanos 2: 4) “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que os vossos pecados sejam apagados, para que os tempos de refrigério venham da presença do Senhor …” Atos 3:19. Ser convertido1 é uma decisão sincera que se faz para se arrepender dos antigos pecados e afastar-se do mundo – de viver nos prazeres passageiros do pecado, de viver para Deus cem por cento; Não um pouco de ambos. Pela misericórdia de Deus, recebemos o perdão de nossos pecados por graça imerecida, e o fundamento para uma nova vida está agora posto. (Atos 3:19 e Atos 26:18)

Crucificando o “velho homem” (Romanos 6: 6; Efésios 4: 17-24)

Para chegar a uma nova vida, temos de deixar o “velho homem” – nossa velha vida. Nosso “velho homem” é a nossa mentalidade antes da conversão, onde permitimos que o pecado reine em nossas vidas, onde não tomamos uma decisão consciente de resistir ao pecado, mas em vez disso cedemos na tentação. É claro que não há como parar de pecar se nosso “velho homem” continuar a ser ativo em nossas vidas. Então precisamos de perdão pelos mesmos pecados que cometemos dia a dia. Acreditar que podemos obter a vitória sobre o pecado sem deixar o “velho homem” é decepção. Então será apenas uma batalha para manter uma boa aparência externa. Se queremos progresso espiritual depois de termos sido convertidos, então temos que deixar, ou crucificar, o nosso “velho homem”. (Romanos 6: 6)

Crucificar o “velho homem” é um ato de fé, uma decisão que tomamos para deixar nossa velha mentalidade que voluntariamente se entregou ao pecado e para colocar o “novo homem” – uma nova mentalidade e determinação para resistir ao pecado e viver Uma vida crucificada com Ele. (Efésios 4: 17-24) Consideramos que estamos mortos para o pecado – já não servimos o pecado conscientemente, e estamos vivos para Deus e Seu trabalho – nossos corpos são usados para servi-Lo em obediência. (Romanos 6: 11-14) Podemos assumir esse compromisso decisivo de deixar o “velho homem” e de começar uma nova vida, independentemente de onde estejamos – é uma decisão que tomamos pela fé!

Rejeitar ou deixar o velho homem não significa que não temos pecado na carne e que já não somos tentados por ser atraídos e seduzidos pelos nossos próprios desejos. (Tiago 1: 14-15) Significa, entretanto, que não vivemos de acordo com eles. Esta é a nova mente. Nossa nova mente não serve mais ao pecado, mas em vez disso declara um retumbante “Não” quando somos tentados. Esta é uma poderosa decisão de fé, que ocorre em nossa mente.

Crucificando a carne com as suas paixões e concupiscências (Gálatas 5: 24)

Com esta nova mente, nossa carne com suas paixões e concupiscências pode ser crucificada com Cristo. (Gálatas 5:24) A carne é a parte do nosso corpo de pecado, da qual estamos conscientes. Naturalmente, não podemos crucificar o que não reconhecemos como pecado até este ponto. Mas assim que recebemos a luz de que algo é pecado, temos que crucificá-lo – colocá-lo à morte. (Colossenses 3: 5) Quando essas concupiscências e desejos surgem da nossa carne, devem ser crucificados – nunca permitidos em nossos corações e mentes – e sofridos até morrerem. Isto incorre em sofrimento em nossa carne, porque nossas próprias concupiscências pecaminosas e desejos que ali habitam não estão sendo satisfeitas. Essas concupiscências acabam por morrer quando continuamente são negadas até o ponto da morte.

Nossa mente, nossa consciência, que antes estava em obras perversas, tornou-se sujeita à vontade de Deus pela fé. Devemos considerar-nos como mortos de fato para o pecado, mas vivos para Deus. (Romanos 6:11) Quando uma pessoa continua a viver em pecado consciente, é porque o velho homem ainda está vivo, e eles não têm a mente para resistir ao pecado – eles são um escravo do pecado. Portanto, deixar o velho homem abre a possibilidade de uma vida em vitória total sobre o pecado consciente, na medida em que temos luz – nossos corpos não são mais escravos do pecado. “Portanto, irmãos, somos devedores – não à carne, para vivermos de acordo com a carne.” Romanos 8:12. As más inclinações em nossa carne não mais governarão sobre nós.

Esta cruz é para todos nós que pecamos e temos hábitos pecaminosos, mas que nos arrependemos e decidimos começar uma nova vida.

Glossário

  1. Conversão / Ser convertido : Ser convertido é tomar a decisão de afastar-se do pecado e das trevas, do poder do diabo ao Deus vivo. Nós nos arrependemos de nossos pecados anteriores, rejeitamos nossa vida antiga – uma vida que desfrutava vivendo nos prazeres passageiros do pecado, e prendendo uma mente nova – uma mentalidade que está determinada a resistir ao pecado (dizer “Não” na tentação) . Também é importante, após a conversão, não retornar ao ambiente que teve uma influência negativa em um antes da conversão, caso contrário as coisas podem ir mal outra vez. (Atos 3:19, Atos 26:18, 1 Pedro 2: 1-2)
  2. O “velho homem”: Nosso “velho homem” é a nossa mentalidade em que não fizemos uma decisão consciente para resistir ao pecado. Com esta mentalidade, quando somos tentados a pecar, conscientemente concordamos com essas tentações em nossa mente, permitindo que esses desejos se manifestem em pensamentos, palavras e ações pecaminosas. (Romanos 6: 1-6, Efésios 4: 22-24, Colossenses 3: 9-10 )
  3. O “novo homem” / “nova mentalidade”: O “Novo homem” é a nova mentalidade, a nova determinação que colocamos depois de deixar o “velho homem”. É uma decisão de lutar contra o pecado, de dizer “Não”, cada vez que somos tentados a pecar, viver Em justiça e santidade. (Efésios 4: 22-24 )
  4. Pecado na sua carne: A natureza humana pecaminosa que todas as pessoas herdaram desde a queda. Isso significa que, como seres humanos, naturalmente somos tentados por desejos e pensamentos pecaminosos. Isso também é muitas vezes chamado como “pecado original” ou “o pecado que habita.”

1

A mensagem da cruz:

A cruz é um dos símbolos do cristianismo mais conhecidos, mas o seu significado vai muito além da cruz do Calvário.

Ler mais
2

O que é “a cruz”?

A Escritura efetivamente fala de três cruzes.

Ler mais
3

A primeira cruz: A cruz do Calvário

Esta é a cruz que leva ao perdão dos pecados.

Ler mais
4

A segunda cruz: Crucificando o velho homem e a carne com suas paixões e desejos

Essa “crucificação” é necessaria se quisermos nos tornar Discípulos.

Ler mais
5

A Terceira cruz: Tomando sua cruz diariamente como discípulos

Com a terceira cruz, todo nosso ser interior pode ser transformado na imagem de Cristo.

Ler mais
6

Qual é o resultado de tomar a nossa cruz?

Um futuro glorioso no conhecimento de Cristo.

Ler mais