Ir para o conteúdo

Os três que foram crucificados e seus seguidores

Three crosses on Calvary

“E, quando chegaram ao lugar chamado a Caveira, ali o crucificaram, e aos malfeitores, um à direita e outro à esquerda… E um dos malfeitores que estavam pendurados blasfemava dele, dizendo: Se tu és o Cristo, salva-te a ti mesmo, e a nós. Respondendo, porém, o outro, repreendia-o, dizendo: Tu nem ainda temes a Deus, estando na mesma condenação? E nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o que os nossos feitos mereciam; mas este nenhum mal fez. E disse a Jesus: Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino. E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso.’” Lucas 23:33,39-43.

Na cruz do meio pendia o Filho de Deus. Ele ficou lá porque Ele voluntariamente se tornou o Filho do Homem, ele participou de carne e sangue como nós, Ele tomou sobre Si uma vontade humana, Ele nunca fez a Sua vontade mas sempre a negou e fez a vontade do Pai, Ele nunca pecou, Ele amou toda a humanidade e procurou salvá-los, e porque Ele lhes disse a verdade. Ali Ele pendurou aquele que neste mundo sempre carregou a sua cruz e negou a Sua vontade, que, espiritualmente falando, sempre viveu uma vida crucificada desde o dia em que Ele tinha idade suficiente para entendê-la.

Nas outras duas cruzes pendiam criminosos, homens que sempre haviam feito a sua própria vontade e nunca haviam feito a vontade de Deus. Ambos sempre viveram em pecado. No entanto, havia uma diferença grande e muito essencial entre esses dois criminosos. Um era duro e incrédulo, enquanto o outro era terno, reconhecendo e acreditando. Um era impenitente e, portanto, permaneceu do lado de fora, enquanto o outro entrou no Paraíso com Jesus.

Nenhum desses homens havia andado nos passos de Jesus e agora não tinham mais oportunidade de fazê-lo. É assim com todo pecador que se converte apenas no final de sua vida.

Todos devemos começar como o único ladrão, com um pedido de misericórdia e perdão pelos nossos pecados. Todos começamos como “ladrões”. Mas só porque esse ladrão é um exemplo de como começar no caminho da salvação, isso não significa que ele deve ser nosso exemplo enquanto continuamos. Muitos são chamados e recebem a oportunidade de seguir o que foi crucificado na cruz do meio e andar nos passos que Ele deixou para trás – Ele que nunca fez a Sua própria vontade, mas sempre viveu uma vida crucificada.

O fato é que todas as pessoas, quer saibam ou não, se encaixam em um desses três grupos e seguem um desses três grupos crucificados. Aqueles que, pela graça de Deus, vencem o pecado pertencem ao grupo do meio. Aqueles que não vencem, mas confessam seus pecados e pedem perdão pertencem ao segundo grupo; aqueles que são impenitentes e não pedem perdão pertencem ao terceiro grupo.

É significativo que tantos crentes olhem para o ladrão arrependido como seu exemplo e encontrem conforto nele; eles se consolam com a oração do publicano pela mesma razão. É bem verdade que devemos começar assim. Mas não é verdade, como muitos pensam, que tenhamos que continuar assim até o fim.


Este artigo foi traduzido do norueguês e foi publicado pela primeira vez em 1937 como um capítulo no livreto “Eu Sou Crucificado com Cristo”.
© Direitos autorais Stiftelsen Skjulte Skatters Forlag

Leia mais sobre viver uma vida crucificada com Cristo em the e-book “I Am Crucified with Christ,” which you can download for free here.

You can also read more in our “Key teaching” page about the message of the cross or by clicking on the article links below.

 

The three crosses on Calvary: What do they signify?

The message of the cross: practical Christianity

 

Ensinamentos-chave

Descubra como a Palavra de Deus nos desafia e motiva a viver 100% de acordo com a Sua vontade, assim que não precisamos mais cair em pecado, mas que podemos chegar a uma vida de vitória.

Baixar e-book grátis

O evangelho de Deus

Graça significa que todo o nosso pecado é perdoado quando o confessamos. Mas ela também significa que nós recebemos poder para obedecer à verdade que Jesus trouxe. Neste livro, Sigurd Bratlie fala sobre isso, mostrando o verdadeiro evangelho de Deus, que é a obediência da fé.

Siga-nos